quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sou uma rapariga prendada ...


... pois sou!
É engraçado como as pessoas adoram colocar rótulos umas nas outras!

Fui, uma vez, confrontada , por uma colega de trabalho, sobre se conhecia ou não  determinado casal.
A história conta-se rapidamente:
Essa  colega de trabalho, com quem eu mantinha apenas cordiais relações profissionais, tinha jantado com um casal que, a propósito de nada, referira o meu nome, acrescentando que eu lhes oferecera um belo jantar em minha casa.
A  minha colega reteve a informação, mas concluiu que ela não fazia sentido, porque, conhecendo-me, concluira que não só eu não cozinhava, como, fazendo-o, seria absolutamente impossível  fazê-lo bem!
Sem que eu desse conta, agarradinho a mim, tinha já o rótulo de fútil , de incapaz de algo mais que ultrapassasse as idas ao cabeleireiro e tarefas afins.
Quando confirmei a informação, li nos olhos dela a incredulidade que, seguramente, a acompanha até hoje!

Do mesmo modo, tricotar, costurar, bordar e outras tarefas que caíram em desuso, se praticadas em público, atraem olhares de estupefação.
Os mais afoitos não resistem a um:
-És muito prendada!
E dizem-no como se eu tivesse 3 olhos e nenhum cérebro.


Acontece que eu sou crescida, sou muito crescida e não me abalo minimamente.
Até me divirto com as reações que provoco.
Ontem, por exemplo, fui ao cabeleireiro. Toda a gente sabe o que são esses locais. Pressa não existe e há que levar uma boa dose de paciência.
Eu levo o crochê!

A dada altura, uma cliente mais desinibida aproximou-se e informou-se sobre a natureza do trabalho, confessando, que, em tempos, tricotara umas coisinhas.
Como sinal de que as coisas estão a mudar, multiplicam-se os workshops de costura, tricô e outras artes.
Ontem, na televisão, ouvia a mais improvável defensora destes talentos, uma mulher linda, moderna e charmosa, defender que as crianças deveriam obter na escola os rudimentos da costura, como ferramenta para a sua autonomização.
É por essas e por outras que eu sou prendada, isto é, dotada de prendas domésticas, com muito orgulho, muito gosto e uma enorme vontade de continuar a aprender.

Beijos
Nina

34 comentários:

  1. E, pelo que tenho acompanhado por aqui, tenho certeza, és realmente prendada!! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. KKKK, PIOR QUE É VERDADE.VI ISSO QUANDO COMECEI A FAZER CROCHÊ E TRICÔ...MAS O BOM SE ROTULADA COMO PRENDADA...BJOS

    ResponderEliminar
  3. Creo que eres totalmente talentosa. Es lo que nos demuestras cada vez más con cada una de tus entradas.
    ¡Fuera las etiquetas!

    ResponderEliminar
  4. Prendada e resolvida!
    Além de tudo escreve muito bem, amo seus textos.
    Beijo, querida.

    ResponderEliminar
  5. Nem mais querida..concordo com o que disse..as pessoas tem a mania de atribuir rótulos..mas se fazemos aquilo que gostamos não podemos ligar a essas coisas...
    Beijos da Bruxinha

    ResponderEliminar
  6. Olá Nina.
    Quando trabalhava na Ordem do Carmo a maior parte das minhas colegas de serviço e outras eram na maioria meninas muito prendadas em costura, renda, crochê, ponto de cruz, cozinha, etc... A minha família também tem meninas muito prendadas nestas áreas. E aprendi muita coisa com todas elas. Não sei muito mas estou a tentar aprender mais, porque estas artes são lindas e muito úteis. E concordo que na escola estas artes deviam ter destaque. Por isso parabéns por ser tão prendada é muito bom e digno de elogio.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  7. Também gostava de ser assim prendada! A verdade é que fazes coisas maravilhosas *

    ResponderEliminar
  8. Realmente Nina,
    e de um limão você fez uma limonada, opppp, um belo texto,
    com moral ao final....
    Em tempos, eu era considerada fora de moda, pois desde de muito cedo eu faço trabalhos manuais....e posso te dizer,
    que foram eles que me ajudaram nos dois percalços de saúde que tive....
    Isso nunca me abalou e hoje muito menos ainda.....
    Considerando que há pessoas que pagam 7 euros para fazer as bainhas nas calças, estou certa de que fazer pequenas coisas, é muito salutar, tanto para a saúde mental, como para o bolso....
    Quanto a essa senhora, que ficou incrédula, imagino a cara dela e de quebra, a sua, com vontade de rir....

    abraços de MF......

    ResponderEliminar
  9. E continua assim... porque vais no bom sentido.
    É assim que gosto de te ver.
    Beijos,

    ResponderEliminar
  10. Nina, vc está certíssima, corretíssima.
    As pessoas põe rótulos que a gente ou nem sabe ou nem merece.
    Eu já comentei numa das postagens que não tenho genética de "prendas domésticas". E até achei justificativa para não ter aprendido isso com minha mãe.
    Mas,eu me sinto rainha(ou princesa) das prendas domésticas, entre outras prendas.

    ResponderEliminar
  11. Nina, sobretudo gostas de fazer coisas e bem. O que me admira é como consegues tempo para tanta coisa. Pela parte que me toca cada vez tenho menos tempo e depois aquele bocadinho que sobra dá-me uma preguiça que nem imaginas.Em parte é por isso que não tenho escrito no blogue pois além de cansada ando com uma preguiça mental impressionante.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. Há determinados preconceitos que estão de tal forma enraizados...
    Boa noite, beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Nina querida!!
    Não temos a obrigação de carregar escrito na testa o que sabemos ou não fazer. Danem-se as pessoas que "acham" que não somos capáz de determinadas tarefas. Eu sinto pena deste tipo que tiram conclusões sem conhecimento.
    Parabéns pela obra, ficou linda!!
    Abraços!!

    ResponderEliminar
  14. Olá Nina, passando por aqui para matar saudades... Tu és realmente prendada seus posts são cheio de belas inspiraçōes, adoro!
    Dias FELIZES para você! Mil beijos, saúde e sucesso sempre.
    laylafonseca.blogspot.com

    ResponderEliminar
  15. eu teria convidado a fulana para almoçar em minha casa, só de pirraça

    ResponderEliminar
  16. Ainda se associa elegância a futilidade!!!

    Santa ignorância, ou "invejinha".

    Beijos.

    ResponderEliminar
  17. Voce é maravilhosamente prendada. Nunca vi trabalhos em crochê e tricô tão bonitos como os seus.
    Eu acho-os todos lindos. Só falta experimentar sua cozinha, mas isso já é mais dificil - rsrsrs - teria que viajar um pouquinho...
    No meu tempo de escola, e lá se vão muitos anos, aprendíamos prendas domésticas.
    As meninas pregavam botões, faziam bainhas, bordavam. prendíamos a arrumar uma mesa bonita, arrumar uma cama confortável, dobrar roupas, arrumar gavetas.
    Mas isso não existe mais. As escolas públicas têm que ensinar suas crianças a ficarem longe dos traficantes, a fugir de balas perdidas e etc...
    Triste isso, mas é a verdade.
    Pode se orgulhar Nina, voce é mesmo prendada.
    Beijos amiga.

    ResponderEliminar
  18. Nada pior do que rotular uma pessoa sem ao menos conhecê-la... adorei o texto. abraços e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  19. Nina querida,

    Parabéns pelas prendas que não se limitam às "domésticas",mas mesmo que assim o fossem,não seria demérito nenhum.
    No meu tempo de escola,os trabalhos manuais faziam parte do currículo.

    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderEliminar
  20. Oi Nina!
    Pois é verdade, rotulos não faltam, desde de que pessoas que não têm mais o que fazer se ocupam da vida dos outros...
    Vamos mas é ser felizes, se cada um fizer o maximo para se sentir bem em vez de se ocupar dos outros, o mundo pode melhorar e muito, não é?
    Um otimo final de semana!
    beijos
    http://oblogdamulherpoderosa.blogspot.fr

    ResponderEliminar
  21. Que é prendada já todos tinhamos percebido (e invejado também).

    ResponderEliminar
  22. Nina, quem já não passou por uma situação dessas, ou semelhante?
    Perguntaste-me se as minhas filhas gostam de lavores. Achas?
    Claro que não! Apenas uma ou outra coisa, que futuramente deixe algumas recordações de quem o fez. Colchas, toalhas de mesa em renda ou bordadas? Mãae, por favor?!!! É a resposta que levo. Por isso também nem me ralo.
    Também não tenho preconceitos em fazer tricô, ou croché enquanto espero por uma consulta, ou até mesmo no cabeleireiro, mas há sempre alguém que olha de esguelha e diz: Ah, já não se usa, mas está muito bonito!
    Eu também vi o mesmo programa que tu na tv, e essa senhora que se chama Joana, tem um blog na net que se chama Rosa Pomposa.
    Tem um belo dia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. hmm, i wonder what you are making. :)

    hope you have a great wknd!

    xoxo
    jasmine
    AdamAlexMommy

    ResponderEliminar
  24. Very nice blog.
    The posts are interesting. I found many ideas.
    Well done!
    If you'd like to see changes in my blog or my facebook fanpage.
    Kisses from Italy! :-*

    Habanero Handmade

    BLOG: http://habanerohandmade.blogspot.it

    FANPAGE FACEBOOK: https://www.facebook.com/pages/Habanero-Handmade-Fanpage/119842804790054

    ResponderEliminar
  25. Nunca liguei ao que as pessoas podem achar...dá-me liberdade de fazer o que bem acho...
    Bjs e bom fim de semana.
    Anna

    ResponderEliminar
  26. aplicate el eslogan de loreal por que yo lo valgo me gusta la lana que has elegido es preciosa amino maria,

    ResponderEliminar
  27. Nina, esqueci de dizer que quando vou ao cabeleireiro, levo uma revista VEJA, caso não tenha revista por lá. Nem olho em redor. Só faço ler e ler.

    ResponderEliminar
  28. Olà Nina,
    Cà estou de volta, e não podia deixar de a visitar.....
    Pois é Nina gostei de todos os seus posts, para este em especial trata-se de uma coisa que quase todas nòs conhece-mos "a inveja" sobre isso acho esta frase muito a preposito.
    O número dos que nos invejam confirma as nossas capacidades.
    Você é mesmo muito prendada.....
    Bom fim de semana.
    Bjs.Celeste

    ResponderEliminar
  29. Querida Nina
    Nunca deixes de ser quem és... coloquem-te os rótulos que quiserem colocar! E faz sempre o que te apetecer sem ligar ao que os outros possam dizer.
    Certa vez uma vizinha desdenhou: a "esposa" do sr. dr. a lavar as escadas! Pudera, se mais ninguém o faz, a minha ajudante estava doente e eu tive de deitar mão à esfregona... sem problema nenhum!
    Também já me têm rotulado... quando é doce, eu gosto!...
    Por acaso hoje passei a manhã no HUC e não levei nada para fazer: só a paciência e ainda tive de "desligar" os ouvidos para não ouvir as queixas dos (im)pacientes mais miseráveis!...
    Mas não tem nada de mal seres prendada, vaidosa, organizada, inteligente, elegante, bonita, bem falante... tenho imensos atributos para ti, mas agora só digo estes!...
    Um beijo da
    Teresinha

    ResponderEliminar
  30. Oi Nina!!!
    É terrível mesmo, na modernidade em que vivemos se você fala que costura, borda, tricota ou até cozinha as pessoas te olham com um olhar já te rotulando... que pena!
    mas você é muito prendada mesmo e continue assim!!!
    Bjosss!!

    ResponderEliminar
  31. Pode se orgulhar mesmo!... além de ser verdade, ainda é uma coisa muito, muito positiva!!... bjsss...

    ResponderEliminar
  32. Nina, minha amiga, como deve ter notado, ando sumida dos comentários, mas nunca, jamais da leitura do seu blog que é para mim, como já lhe disse inúmeras vezes, meu livro de cabeceira, que muito, muito me agrada sua escrita impecável, fotos belíssimas e, acima de tudo, seus textos transmitem a pessoa verdadeira que é, linda por fora e por dentro.
    Também tenho a mesma opinião que trabalhos manuais, principalmente costuras, deveriam fazer parte do curriculum escolar, não só das moças, mas das pessoas. Como sabes, admiro tanto essa arte do faça você mesma que resolvi ensinar costuras básicas e, acredite, não tive, até hoje, uma única aluna desinteressada - todas encantadas. Tenho o maior orgulho de mim, das coisas que sei fazer sozinha, das coisas que tenho ensinado às minhas alunas que também já se sentem orgulhosas por seus trabalhos. Portanto, minha amiga, dispense esses rótulos, pois ser feliz com aquilo que faz é privilégio de pessoas especiais; pessoas assim como você que faz tudo com excelência e, acima de tudo, com orgulho!
    Tenha um lindo final de semana,
    Beijos

    ResponderEliminar
  33. Olá Nina,

    "falem bem ou mal mas, falem de mim" e ponto!
    Ninguém tem culpa de ser charmosa.

    Beijão,
    Lu

    ResponderEliminar