domingo, 14 de abril de 2013

Lar, doce lar!

A partir do texto de Luísa Costa Gomes, "O que importa é que sejam felizes", encontra-se em palco a peça "Lar, doce lar", num impressionante desempenho de Maria Rueff e Joaquim Monchique.


undefined
Ei-las as duas quase octogenárias!
O texto é hilariante, desenvolvendo-se a um ritmo perfeito, através de primoroso diálogo.
Pronto, são dois consagrados artistas, utilizando um texto impecável.
Muito bom, muito divertido, horas de gargalhada plena, o que é bom e saudável. .Mas, o que realmente impressiona é o tratamento do assunto. Fala-se de velhinhos, coitadinhos ... 
Ora, a grande , a espetacular novidade, reside na abordagem do tema.
É que estas duas velhinhas nada têm de coitadinhas. Atentas e lúcidas e ricas, são navalhas de crítica social implacável, dirigida essencialmente aos familiares mais próximos, os filhos.
As duas seniores, como fazem questão de serem tratadas, com as suas mazelas são, ainda assim, poderosas.
Porque ricas.
O que nos leva à questão fundamental: dinheiro é poder!
Quando todos os outros valores falham (respeito, consideração, gratidão ...), resta o argumento monetário.
Só porque são economicamente independentes,  é que as duas velhotas têm poder de decisão. E decidem. Decidem onde e como querem viver a sua vida. E, curiosamente, optam pela residência de luxo em detrimento da casa dos filhos.
No cúmulo da liberdade, ou da libertinagem, fumam ... e não, propriamente tabaco, zombando abertamente dos conceitos e preconceitos sociais.
Uma abordagem genial de um tema que sempre incomoda.
Aqui não. Aqui inspira. Aqui dá ideias a quem tiver a sorte de chegar aos 80 anos.
Que seja assim, sem submissão e com muito bom humor.

Beijo
Nina

31 comentários:

  1. Gostava de ter visto.
    Deve ser só rir do inicio ao fim da peça :)

    ResponderEliminar
  2. DOIS atores sem dúvida fabulosos ,o que quer dizer que a
    peça , é digna de ser vista...beijos

    ResponderEliminar
  3. Os meus pais deveriam ver: ultrapassaram os oitenta ( há anos) e gostaria de os ver ainda mais humorados. Nada me deixa mais triste do que vê-los preocupados com o que por aí se faz aos idosos. Hoje, foi morto um octogenário por 100 euros. Horror dos horrores.

    ResponderEliminar
  4. Parece-me interessante e nos tempos que correm há que rir para desanuviar!
    Com dinheiro é fácil tomar opções dessas mas também há quem o tenha e siga outros caminhos mais melancólicos!

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Parece bem interessante e divertida.

    ResponderEliminar
  6. Adoro teatro com bom humor, com certeza iria gostar. Beijos

    ResponderEliminar
  7. Concordo com elas...podendo, porque não?

    Viver até ao fim!!!

    Deve ser uma peça hilariante.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Essa é a questão: dinheiro. E a maior parte dos seniores deste país não o tem.
    manela

    ResponderEliminar
  9. Excelente sugestão, Nina! Em que sala está a peça? Vou ver se desafio a minha cara-metade a ir comigo...:)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Excelente sugestão, Nina! Em que sala está a peça? Vou ver se desafio a minha cara-metade a ir comigo...:)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Que bom que assim fosse...que os idosos todos tivessem dinheiro suficiente, para terem uma velhice boa!!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Deve mesmo ser muito legal ver essa peça.Tema que inspira! beijos,chica

    ResponderEliminar
  13. Nina me gusta mucho el teatro con humor ..
    Cariños
    Angelica

    ResponderEliminar
  14. Das hört sich wunderbar an, war bestimmt ein lustiges Theaterstück mit viel Spaß.
    Aber im Grunde auch was zum Nachdenken.
    Wenn jemand so gesund und munter ist, so wach im Kopf, mit viel Humor, dann ist das ein Geschenk.
    Man ist freier und alles wird einfacher, wenn man auch das nötige "Kleingeld" hat.
    Dieses Stück würde ich mir auch gerne anschauen :-)

    Umarmung und liebe Grüße von Sophie xx

    ResponderEliminar
  15. Oi Nina... que bacana esta peça de teatro... adoro espetáculos culturais, porém por aqui onde moro não temos muitas oportunidades... mas isto vai mudar, meu marido e meu cunhado começaram a construção de um Teatro (veja lá no Blog Misturinhas) e em breve trabalharemos com atividades culturais, que pena que esta peça é do além mar, se estivesse por aqui seria um espetáculo que traríamos com certeza... beijosss!!!

    ResponderEliminar
  16. Oi Nina,
    Fiquei com vontade de assisti, gosto de peças assim!
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Há que tempos que não assisto a nada assim!:))
    beijinhos e muita diversão

    ResponderEliminar
  18. Super inspirador o tema Nina, adorei, deu até vontade de assistir.
    Um grande abraço e fique com Deus.

    ResponderEliminar
  19. Pessoal
    Ajudem comprando qualquer item da promoção da lojinha para ajudar nas despesas dos animais resgatados que aguardam adoção em lar temporário
    http://adoteumfocinhocarente.blogspot.com.br/2013/04/mais-coisinhas-novas-na-lojinha-itens.html


    ou comprando qualquer numero da rifa
    http://adoteumfocinhocarenterifas.blogspot.com.br/

    Por favor, ajudem na divulgação. Quem sabe aquele amigo que vc nem sabia quer adotar um animalzinho??
    WWW.adoteumfocinhocarente.blogspot.com

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde Nina, o seu genial resumo da peça deixou-me com vontade de a ver! Adoro os dois artistas e vou estar atenta a uma possível reposição em Lisboa, porque penso que já por aqui esteve. Grata por partilhar o que de bom se faz no nosso País e o teatro e os artistas necessitam ser divulgados em prol da nossa cultura. Beijinhos. Ailime

    ResponderEliminar
  21. A vida muitas vezes é curta, mas mesmo assim seu caminho é longo.
    Nela aprendemos a sorrir, chorar, amar, sofrer e a renascer,
    para amanhecer e termos um lindo dia.
    Seja Feliz Sempre!
    Acredite no Tempo, na Amizade,
    na Sabedoria e, principalmente no Amor.
    E acima de tudo não perca a fé,
    e certeza de que Deus existe e é seu amigo sempre.
    Uma semana de muita paz .
    Beijos no coração meu eterno carinho,Evanir.

    ResponderEliminar
  22. Hola Nina: un tema que definitivamente se las trae y el abordaje es cierto lleno de prejuicios.

    Feliz semana.

    Ale
    Costa Rica

    ResponderEliminar
  23. Peninha que estou a um oceano de distância... Beijos e parabéns pela camisa nova lá no blog da Mira - teu bom gosto e elegância são indiscutíveis, cara Nina.

    ResponderEliminar
  24. O problema é que a maior parte dos idosos do nosso país têm reformas muito pequenas que não lhes permite ter essa margem de manobra. Financeiramente dependentes, muitas vezes têm de "obedecer" aos filhos ou a familiares mais chegados. É triste, mas é a realidade para a maioria.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  25. Eu amo comédias, e hoje em dia está difícil encontrar uma comédia na medida! Uma pena estar tão longe!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  26. Sinto tanta falta de ir ao teatro por cá...moro quase no campo,nada que implica,pois tenho Bruxelas a 35 km e Charleroi com um grande teatro a 10km é comodismo mesmo.
    Pois é amiga,seria uma casa para João,com meu trabalho e do marido,o banco empresta facilmente sem que precisamos mexer nas nossas economias e pagariamos o mesmo valor do aluguel.Sem falar que esta casa tem um grande potencial,ja tenho todo o projeto da reforma,como aumentar a cozinha e colocar teto de telha de vidro,de fazer um quarto com sala de bannho e quarto de vesti no granier,aumentar o jardim pois temos mas 2 vezes espaço sem utilizar,plantar arvores frutifuras e fazer um potager para João plantar seus legumes,mas o homem n se dicide.Marido que se aposentar e voltar a viver em Portugal,tem um projeto com os dois irmãos de vender o predio do pai em Benfica e construir no algarve 3 casas em um condominio para os treis irmãos com piscina,jardim,sao só projetos,um dos irmaos mora na Espanha e tambem quer voltar a portugal,mas Deus é que sabe,beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Olá Nina,

    pelo que resumiu, o TAL problema de filhos com pais Idosos não teem fronteira também! E eu não quero ficar com nenhum dos meus. Em primeiro lugar, eles estão formando suas vidas e não quero que tenham esta responsabilidade, em segundo, não vou querer cozinhar,nem passar, nem mexer com bancos e contas! Quero ficar numa casa de repouso e ponto! E, pode acreditar minha flor, não terei o bom humor destas personagens. Acho a velhice uma merda, como disse Jorge Amado!
    Agora, adoraria ver esta peça, comédias boas são difíceis de se ver e a gente vai para rir e isto não faz parte de muitas delas...

    Beijão,
    Lu

    ResponderEliminar