sábado, 3 de janeiro de 2015

O meu reveillon!

Sendo absolutamente sincera, não dou nenhuma importância a esta data e, normalmente, comemoro-a em privado, limitando-me a comer as uvas da praxe e a brindar com um golinho de champanhe. Chega!
Este ano, porém, estava em Freiburgo, como, na altura,  referi.
O hotel, quase familiar, de seu nome Lowen, muito acolhedor, simpático, bem situado, impecavelmente limpo, foi o poiso escolhido.
Dispunha de um quarto amplo, com casa de banho e uma vista ampla sobre a paisagem branca.
Servia um pequeno almoço substancial, com produtos de primeira qualidade, em mesas impecáveis, sempre com toalhas lavadas e passadas e guardanapos de pano branco. Estes detalhes dizem-me muito!

Jantei sempre no hotel e jantei muito bem.
Até que chegou a noite de passagem de ano.
Aí é que foram elas!
O menu era looooongo e sem opção.
O primeiro problema que se me pôs foi a falta de vestimenta adequada, eu que, imprudente, metera dois pares de calças na mala e pouco mais.
Perante a eminência do desastre, - olha! - desliguei o ralador!
E lá me apresentei de calças e botas pronta para destoar muito. Mas não! Os restantes hóspedes não primavam por extraordinária elegância,  portanto, nesse aspeto, tudo correu bem!


Este senhor, proprietário do hotel e mestre de cerimónias, abriu as hostilidades
com um discurso do qual não apanhei nada, o que não me impediu de aplaudir entusiasticamente!
Chamo a vossa atenção para o artista vestido com camisa roxa em lamé, ao fundo,
e para a comensal de rabo de cavalo e blusa laranja!
Em comparação, eu estava um "must"!

Depois escolhemos o vinho e ...

...  meia hora depois surgiram os "amuse bouche", uma espécie de choux de peixe com um gostinho a caril!
Mesmo bom!
O que não foi tão bom, foi o ritmo da refeição - entre cada prato, a meia hora de intervalo da praxe!
2 horas volvidas, a pedido, desistimos das restantes iguarias e comemos a sobremesa.
Entretanto, iniciara-se o divertimento, com música e dança, em que não participei dado o pé de chumbo de uma certa pessoa ...
Da janela do quarto, vi o céu acender-se em mil luzes, antes e durante as 12 badaladas e, assim, confortavelmente, o reveillon, decorreu e terminou a festa!
E no outro dia já era 2015!

Beijo
Nina

18 comentários:

  1. Esa es una buena manera de empezar el año. Para mí tampoco es una fecha que amerite mayor trámite, prefiero quedarme en mi casa.

    ResponderEliminar
  2. Foi uma passagem de ano simpática.
    E certamente estavas bem mais elegante do que a menina de camisola laranja.
    Já estás de volta? Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Querida Nina,
    estou mesmo a ver que, para o ano, vais passar o réveillon no aconchego do teu lindo lar!...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Pois eu adoro e por esta ordem os aniversários, o natal e a passagem de ano. e gosto de vestir alguma coisinha com brilho, com lantejolas ou algo parecido. gosto pronto, que hei-de fazer....
    Boa noite

    ResponderEliminar
  5. olá Nina amo suas postagens suas palavras enfim adoro sempre passar aqui pelas paisagens sempre viajo , conheço lugares , maravilhoso este seu blog,
    tenha um ano muito cheio de saúde
    forte abraço
    elisa

    ResponderEliminar
  6. Gracias por compartir tu experiencia de esta cena de fin de año.
    Besos y feliz Año nuevo.
    Chary :)

    ResponderEliminar
  7. Um belo 2015 e um grande beijinho :-)/Helena

    ResponderEliminar
  8. Olá minha querida!
    Viajar é tudo de bom ,feliz de quem tem oportunidade!
    Esta região da França é muito acolhedora,o cenário com a neve é um espetáculo. Eu desde que vim viver à Bélgica,passo em casa e este ano n foi diferente,de calça jeens e blusa branca,o branco n abro mão,nem que seja um pijama,coisas que trago da Tropicália.Não sou adepita aos brilhos,nada contra,mas penso que n preciso de brilho para esta elegante e sendo sincera,queria mesmo poder passar a virada do ano no teu Algarve. Marido esta no Algarve eu sinto falta do mar. Com o frio de menos 3 graus,apesar de ter feito sol, no dia 31, não me animei a ir a Bruxelles ver as queimas de folgos.A limpeza e conforto eu tb primo muito em uma viagem,nos conte! Que 2015 seja de muitas belas histórias para voce e que nós possamos vibrar juntas,beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Gosto mais de Ano Novo que de Natal.
    Acho que por conta do barulho com que se esperar a passagem de ano.

    ResponderEliminar
  10. Uma passagem tranquila..aqui em casa foi que nos reunimos e brindamos a chegada do ano novo, vimos os fogos e depois ficamos conversando, até as 3 horas, assim arrumamos tudo e novamente, mais tarde nos reunimos no almoço , para o enterro dos ossos, como chamamos, as sobras da ceia foram aproveitadas no almoço...jogamos bingo familiar e assim ficamos até as 22 horas, quando tudo arrumamos e cada qual a suas casas e dormimos até as 10 h da manhã...estava um caco rsrsrsrs

    ResponderEliminar
  11. Nina querida, desculpe a demora em responde-la.
    Muito obrigada pelo seu carinho e atenção.
    Nestes quatro meses meu foco foi para uma outra prioridade muito importante em minha vida. Mas graças a Deus está tudo bem.
    No Natal e na passagem de Ano Novo passo com minhas filhas, mamãe e irmã, com muita gratidão no coração por termos muito mais do que precisamos.
    Saudades, beijo.

    ResponderEliminar
  12. En mi casa tranquila las comimos nosotros.
    Buen 2015 Nina.Todos los 361 días que quedan;))
    Besos.

    ResponderEliminar
  13. O que interessa é festejar! Um Bom Ano!

    ResponderEliminar
  14. Nina...eu passei-o no aconchego da cama...e do amor!
    Mas...nem imagina o que já fiz em... passagens de ano...de outras "eras"!
    Relativamente a hotéis...passei um ano em Djerba (Tunísia)...e foi espetacular a todos os níveis...e para essa noite...fui a uma loja e comprei um vestido típico da região...esquecendo a elegância que levava do nosso país!
    Não gosto desta data e não lhe acho piada alguma!!!
    Bj amigo e que possamos falar deles por muitos anos...

    ResponderEliminar
  15. Boa noite NIna, passados que são cinco dias sobre essa noite de Réveillon não pude deixar de sorrir com os seus pormenores tão engraçados! E ainda mais quando resolveu ir embora! Faz-me lembrar alguém que conheço:))! Até a palavra "vestimenta" parece dessa pessoa;) e as calças também!
    Por aqui, com o carro na oficina fomos jantar ao restaurante mais próximo (que serviu muito bem;)) e às vinte uma e trinta :)) já estávamos aqui em casa prontos para a dança, sentados. Não fora os telefonemas e diria que era uma noite como outra qualquer. Ah e as passas, mas regadas com Porto!
    E viva 2015!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar