sábado, 14 de março de 2015

The simple life

Já há muito que sigo com um misto de curiosidade e interesse este conceito:
-The simple life!

Como o nome indica, trata-se de um modo de encarar e gerir a vida de uma forma que exclui tudo quanto é supérfulo, desde a alimentação, ao vestuário e aos cuidados elementares de manutenção de uma casa.

Olho com curiosidade, como disse, e também com admiração, a capacidade que algumas pessoas manifestam de quebrar as cadeias que as aprisionam à feroz sociedade de consumo. E, não deixo de compreender e, até, simpatizar com os seus pontos de vista. O que, só por si, não significa que os abrace e aplique ao meu dia a dia. Mas, já se sabe, conhecimento e abertura de espírito não fazem mal a ninguém. Só nos enriquecem, elevam e abrem o leque de opções que cada um decide adotar.

Neste contexto, tenho-me documentado em aspetos comezinhos que passam da produção dos detergentes domésticos, à realização de arranjos de costura - nunca mais recorri às lojas de costureiras para subir ou descer bainhas ... - à produção das próprias compotas - as minhas incomparávelmente melhores do que as da loja - conservas e congelação de legumes, produção do próprio pão e tantos outros items que, no meu dia a dia, eu própria produzo.

Há, porém, quem faça desta teoria um modo de vida:


Aqui, onde nos meses de verão funciona um parque de estacionamento automóvel, nasceu uma aldeia de avantajadas dimensões.
Uma aldeia de caravanas!

São alemães, franceses, holandeses e suecos, na sua maioria..
Aqui montam a sua habitação fugindo aos rigores do inverno nórdico.

Não é um camping!
Não têm energia elétrica. Para isso recorrem a painéis solares próprios.
A própria água é recolhida nos chuveiros que servem a praia.
 Também aí lavam  as roupas que estendem ao sol junto às caravanas.

Com eles trazem o cão, o gato, o periquito e até os vasos com plantas.
E, como uma perfeita comunidade, entre si convivem com jogos, conversas e risadas.

É, mais que uma forma aprazível de ultrapassar o inverno, é, dizia, uma forma de estar na vida.
Uma forma curiosa! Quase radical, diria!
Se eu aderiria?
Não! Nunca!
Estou ainda e sempre - receio - agarrada ao conforto da minha rotina, dos meus sofás, das minhas torneiras de água quente.
Como testemunho do exequível - afinal é possível viver assim! - tem o seu valor!

Beijo
Nina

25 comentários:

  1. Nina, the camping life is simple but beautiful and interesting!
    Beijos Crissi

    ResponderEliminar
  2. nice pics..i really like to be on holiday now
    kisses

    ResponderEliminar
  3. Era incapaz de viver numa caravana ou num parque de campismo, sem o meu conforto.

    Sem dúvida, sou muito complicadinha!!!
    Admiro quem o faz!

    As fotos estão perfeitíssimas!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Já tive vida simples quando era solteira, foi só casar e ir morar numa linda metrópole minha vida deu uma virada de 90º.
    Voltei ao meu rincão tive que mudar um pouquinho, mas não sou neura, estou aposentada curtindo meu resto de vida.
    Adorei sua postagem
    Beijos no coração
    Lua Singular
    Oi querida,

    ResponderEliminar
  5. Eu sou simples em tudo, mas não gosto de ajuntamento.Assim, não me dou bem nesses lugares!Gosto da privacidade da família, cada um no seu quarto, nada de amontoamentos,rs bjs,chica

    ResponderEliminar
  6. Nina, esse exemplo é diferente (acho eu) do conceito de um estilo vida simples. Isso são férias muito low cost, é outra coisa :)

    Eu,que até sou uma pessoa descomplicada e adepta do estilo de vida que referiste, fiquei de cara à banda com as fotos. Férias descontraídas sim, mas assim tão "abarracadas" também não seria definitivamente nada para mim.

    Bj

    ResponderEliminar

  7. Dear Nina,
    my parents were also happy campers, and when they were older and retired, they spent most of the summer in their caravan. It was cozy. But to live a whole life like that? Well, at least it's a way ...
    Hugs from Austria, Traude

    ResponderEliminar
  8. Para uma aventura td bem é bom
    mas um conforto é melhor ainda
    só para curtir mesmo

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
  9. Nina...admiro a coragem deste modo de viver!
    Provavelmente...se aderisse não teria tanta "consumição"!
    Uma vez convidaram-me para fazer campismo... não dormi nada nessa noite e vim-me embora no dia seguinte!
    Nunca mais fiz campismo...faz-me falta o meu recanto!
    Bom domingo!

    ResponderEliminar
  10. Coincido contigo: hay comodidades que se me haría difícil dejar de tener.

    ResponderEliminar
  11. Oi Nina, eu gosto é de conforto, estas ideias de acampar nunca foi comigo e meu marido pensa da mesma forma, rsrsrs beijosss!!!

    ResponderEliminar
  12. Es muy facil decir que quieres una "vida simple", pero tenemos muchas comodidades a las que no estamos dispuestos a recnunciar.
    Besos.
    Chary :)

    ResponderEliminar
  13. Também não sou fã deste tipo de vivência. Numas férias, com uma duração de 15 dias no máximo, até talvez fosse divertido. Mais que isso, para mim seria insuportável.
    Parabéns, pois tem aqui uma sequência de belas fotos.
    Um óptimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  14. Que legal, acho que suportaria uma semana talvez, bem para variar um pouco. Mas acho que seria uma experiência legal. Adorei saber e ver.
    Beijo

    ResponderEliminar
  15. Nina,

    Não sou radical, mas tento consumir o necessário. Não dá pra desapegar tão fácil, de costumes de uma vida inteira.
    Aqui na NZ, existem muitos campings, mas eles são legalizados e bem estruturados. Não é permitido estacionar em qualquer lugar, e simplesmente, fazer morada; assim como nas imagens.
    Eu viveria muito bem numa campervan, mas dessas que eu vejo por aqui, com luz, banheiro, cozinha e todo o conforto necessário.
    Um lindo Domingo! Beijos

    ResponderEliminar
  16. Achei lindo essa turminha, a vida é tão curta para ficarmos ajuntando coisas num só lugar. Até que gostaria de aderir uns tempos....Ótima ideia e viva a vida!!!!!!bjs

    ResponderEliminar
  17. Também não viveria assim.
    Tenho necessidade de um porto seguro.

    ResponderEliminar
  18. Nina tenemos caravana desde hace años pero siempre acampamos en camping, en la calle me dá mucho miedo.
    Un beso.

    ResponderEliminar
  19. Admiro quem faz esse tipo de vida, mas para mim ia ser difíci. Sou demasiado comodista para isso. Jinhos.

    ResponderEliminar
  20. Acho interessante esse estilo de vida mas não seria minha opção. Tenho dificuldade de abrir mão de alguns confortos, mas gosto dos princípios de vida minimalista e busco encaixá-los na minha vida, essencialmente no que diz respeito a consumo.

    ResponderEliminar
  21. Boa noite Nina,
    Ao ler a parte final deste seu excelente texto (como todos) sorri!
    Tenho momentos em que adoraria andar por ai que nem saltimbanca;)), mas não sei se aguentaria!
    Que admiro a descontracção de quem pratica o caravanismo, lá isso admiro!
    Será uma forma de estar e que decerto relaxa.
    Em mais nova ainda propus fazer campismo, mas a minha ideia não foi aplaudida!
    O máximo que agora consigo é almoçar em parques de merenda que abundam por aqui e que aprecio muito, mas no verão, claro,))!.
    Adoro ar livre e puro!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  22. Olá Nina,

    tens de experimentar e vais ver que vais gostar:))
    Dentro das caravanas é como se estivéssemos na nossa casa pois tem tudo. Agora dentro de tendas, aí sim é nos privarmos de muita coisa, mas aí é que tem graça. E tão bom nos retirarmos das "modernices", vivermos uns dias sem televisão, passarmos os serões todos juntos em família a conversarmos uns com os outros e a olhar as estrela, coisas que em casa não fazemos.
    Eu costumo ir para o parque de campismo de Olhão e tem todas as comodidades, boas casas de banho, duches quentinhos, uma maravilha, já conto os dias para chegar setembro e ir para lá. Em agosto não vou pois é muita confusão e eu também não gosto de grandes ajuntamentos.

    Beijinhos
    São

    ResponderEliminar
  23. Olá Nina,

    como você, eu também não troco meu conforto por nada principalmente na hora de dormir, já que atualmente tenho a visita da insônia caso não esteja numa cama agradável. Estive uma vez num camping para não repetir a aventura flor!
    Beijão,
    Lu

    ResponderEliminar
  24. Eu não. gosto de estar em casa no conforto. Abrir a torneira e ter água, abrir a porta da máquina de lavar e ter a roupa lavada. Chegou os anos de miuda em que não tinha quase nada...

    ResponderEliminar