segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Peru do Natal



Repete-se todos os anos a mesma "cena" - sobra sempre imeeeeeenso peru, no Natal.
É que os bichos são corpulentos - não admira, portanto, que por muito esfaimados que estejam os comensais, não conseguem acabá-lo.

Pessoalmente, não simpatizo com peru!
Acho a carne desenxabida  e seca, mas tradição é tradição.

Portanto, para além de comprar uma ave "monstruosa" que exige horas e horas de permanência no forno - 1 hora por quilo! - dou-lhe um tratamento que se inicia dois dias antes do dia do cozinhado.
Primeiro, fica 24 horas de molho, coberta por água temperada com vários limões cortados em rodelas e muitas folhas de louro.
Depois, há que deixar que escorra completamente, há que secá-la com papel absorvente e, só depois a temperar com uma pasta de margarina, sal, pimenta, colorau, muito alho picado e vinho do porto.
Requer outra etapa de 24 horas para que o tempero atue.
Só depois - 48 horas volvidas - é que está pronto para entrar no forno e, então enche-se-lhe a cavidade abdominal com o recheio ou - outra possibilidade - com limões e cubos de caldo de aves.

Seguem-se as horas de assadura exigidas de acordo com o peso do animal.

Enfim, é uma logística muito trabalhosa, muito demorada, para quem, como eu, não morre de amores pela criatura.

De tal modo a nossa relação é fria e distante que decretei acabar com o peru no natal e,
no próximo ano,  quebrarei a tradição sem o menor problema de consciência.



Este ano, porém, comeu-se peru e sobrou peru.
Congelei-o!
Fui utilizando porções, espaçadamente, de modo a evitar um motim!
Lá consegui terminá-lo e ontem preparei canelloni com recheio de peru!




Fervi os canelloni durante 5 minutos, antes de os rechear, porque - diz-me a minha experiência - se recheados crus, embora mergulhados em bechamel podem apresentar horríveis fragmentos duros e encruados.





O peru tem uma curiosa particularidade - reeeeeende, rende muito!
Por isso, com as sobras das sobras, consegui várias porções de canelloni!

Congelei e cozinhei estas duas para o jantar de domingo.

Estavam bons, os canelloni!
E ninguém suspeitou que eram de peru.
Como convem!
Não precisam de saber tudo, pois não?

Adeus peru!

Beijo
Nina

20 comentários:

  1. Boa Nina!
    Para o ano, há mais um peru que não vai acabar no tacho :D
    Para o Natal de 2016 Sugiro lagosta, ostras e vieiras.
    Sim, são bichos também, e têm direito à vida, mas não é a mesma coisa. Adormecidos numa água que aquece aos poucos, é uma morte mais serena.
    Canellonis de lagosta também não é nada mau! :)
    Eu este ano, nas festas natalícia, só ingeri legumes. Nem foi premeditado, calhou. Não me apetecia mais nada.
    Beijinhos Nina :)

    ResponderEliminar
  2. Nina minha querida, estou eu em um dilema quase igual ao seu, pois não é que meu filho ganhou da empresa onde trabalha um peru enoooorrrrmmmmeee também, mas visto que eu também não sou assim fã de peru e ja abri mão desta tradição ha muitos anos, simplesmente o coloquei no freezer, mas não posso me fazer de chata e muito menos me desfazer do dito, embora eu não goste ha uma torcida em casa desde que voltamos de viagem para que eu assasse o tal, mas ai como você diz, dei todas as verdades cabíveis, tempo de cozedura etc e tal, ou seja não é algo assim fácil de fazer e nem rápido, mas não teve jeito, parece que nesse próximo domingo vai rolar o tal peru de Natal que não foi consumido no natal, e ai ja passei a tagarelar, vai sobrar muito o que faremos com o resto, se não me apetece o bicho todo o que farei com as sobras e serão muitas, de acordo e fato porque em casa somos apenas 4, mas ai eis que na minha visita diaria achei bom uso para o resto, agora até me animei, torço logo para fazerem(sim digo fazerem porque passei a incumbência a frente), pois fiquei demasiada interessada em como vai se dar o tal aproveitamento dos restos do peru!!! te conto depois bjucas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Marilda!
      Que bom que te inspirei.
      Conta-me tudo!
      beijinhos

      Eliminar
  3. Nina, o segredo é a alma do negócio, portanto não precisam de saber tudo. Cá em casa, por ninguém morrer de amores pelo bicho não assamos o peru de Natal. Normalmente um lombo de porco assado ou um bocado da perna também assada são as opções. Beijinhos minha querida.

    ResponderEliminar
  4. Nina, querida, já me ri com a história do teu peru!
    No banho da antevéspera acrescento um copinho de cachaça... para substituir a bebeira que antigamente se dava ao coitado do bicho!
    Mas connosco não há muitas sobras porque o encetamos na consoada (éramos 10!) e depois vai o resto no dia 25 (éramos 15!). Faço-o recheado.
    Mas quebrei a tradição quanto ao bacalhau cozido com batatas e couves... a pedido de todas as famílias!!! Assei polvo à moda de S. Miguel, mas tive de substituir o vinho de cheiro por tinto. Mas fica igualmente muito bom.
    Eu dfevia ter mencionado o teu contacto junto da Traude, mas já não sei escrever alemão... e o tradutor da google é realmente uma anedota! Percebo e quando fui à Alemanha ainda me fiz entender, mas agora... já não escrevo!
    Dei o meu contributo com o meu bolo de resíduos... achei boa ideia mostrar um bolo deliciosa feito com a polpa dos frutos.
    Ich werde meine schwachedeutsche Sprache zu trainieren

    ResponderEliminar
  5. Boa noite Nina,
    Os canelones recheados com as sobras de peru, uma óptima ideia! Ficaram com óptimo aspecto!
    Nunca fiz peru inteiro assado!
    Por vezes assava uma ou duas pernas conforme a quantidade de comensais.
    No entanto aqui;)) já não apreciam e até o bacalhau tenho que fazer uma variante para um dos comensais (tipo bacalhau com natas ou espiritual).
    Para o dia de Natal fiz um ensopado de borrego, tal como no ano passado que fez grande sucesso e no caso de sobrar dá para algumas refeições aquecendo com facilidade.
    A "roupa velha" comeu-se no inicio da semana a seguir ao Natal.
    Temos que inovar e evitar o desperdício como muito bem a Nina defende e eu também.
    Beijinhos e uma boa noite.
    Ailime

    ResponderEliminar
  6. Nina, querida, já me ri com a história do teu peru!
    No banho da antevéspera acrescento um copinho de cachaça... para substituir a bebeira que antigamente se dava ao coitado do bicho!
    Mas connosco não há muitas sobras porque o encetamos na consoada (éramos 10!) e depois vai o resto no dia 25 (éramos 15!). Faço-o recheado.
    Mas quebrei a tradição quanto ao bacalhau cozido com batatas e couves... a pedido de todas as famílias!!! Assei polvo à moda de S. Miguel, mas tive de substituir o vinho de cheiro por tinto. Mas fica igualmente muito bom.
    Eu devia ter mencionado o teu contacto junto da Traude, mas já não sei escrever em alemão... e o tradutor da google é realmente uma anedota!
    Percebo e quando fui à Alemanha ainda me fiz entender, mas agora... já não escrevo!
    Dei o meu contributo com o meu bolo de resíduos... achei boa ideia mostrar um bolo delicioso feito com a polpa dos frutos.
    Ich werde meine schwache deutsche Sprache trainieren!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bem!
      Muito melhor que eu ... deixei de praticar e, já se sabe, a função é que faz o orgão.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. A sugestão é excelente! felizmente na nossa mesa de Natal, o perú não entra :) ... nem o bacalhau com as couves ... a tradição de familia pende mais para o borrego ou cabrito e quem sou eu para a alterar ... :))
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. 48h antes? Credo!! Só por esse trabalho todo antes, eu já desistia :D Ainda por cima para sobrar :D :D
    Mas como rendeu bem agora as sobras, o peru está desculpado ;) Os canelones têm bom aspeto :)
    Beijinhos Nina

    ResponderEliminar
  9. Pois eu fui como a D. Teresinha, fiz polvo no Natal em vez do tradicional bacalhau com couves, com tantos jantares de natal que houve o bacalhau com couves já não se aguentava! Quanto ao peru é tarefa que deixo para minha mãe que o faz muito bem. Também não gosto particularmente da carne, muito seca e sem graça, mas gosto por causa do recheio que é delicioso, e também porque o peru, mesmo não sendo muito bom, faz uma figuraça na mesa! Acho que esse aproveitamento para os canelones foi muito inteligente, e certamente assim o perú estava muito melhor! Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Nina...não gosto de peru a não ser de bifes finos e grelhados!
    Quanto aos cannelloni nunca provei e também nao sei a razão!
    Levo a sugestão... Bj amigo

    ResponderEliminar
  11. Hai usato gli avanzi al meglio, saranno sicuramente buonissimi!

    ResponderEliminar
  12. Hummm!
    Me parecem ótimos. Excelente sugestão!
    Que bom!!!
    bjs
    Ritinha

    ResponderEliminar
  13. Cá por casa continua a tradição do bacalhau no jantar da consoada e depois comemos o peru no almoço. Nunca comi perú recheado mas por cá fazemos sempre é perna de perú no forno com laranja. Assim nunca fica seco porque as pernas são bem tenras e suculentas e todos gostamos bastante, além disso, não existem tantas sobras. Podes experimentar numa próxima vez se quiseres porque eu também não acho muita graça aos peitos (demasiado secos). Com a perna, basta prepará-la no dia anterior :)
    Gulosoqb

    ResponderEliminar
  14. Oi Nina, aqui na nossa Família não teve peru este ano, preferimos uma carne vermelha assada, um pernil de porco e uma massa... ainda bem pois sempre sobra muiiito desta carne e depois quase ninguém quer comer... mas já está anotada ideia para outros natais, rsrsrs beijosss!!!

    ResponderEliminar
  15. Qué ricos los canelones, son una de mis comidas favoritas. Me encantan, besos.

    ResponderEliminar
  16. Também congelo tudo que sobra por aqui.
    Mas, Clarice(serviçal) não é muito engenhosa no aproveitamento.
    e eu cansei de ensinar.

    Nunca fiz caneloni comprado a massa pornta.
    Mas é uma ideia.

    ResponderEliminar
  17. em casa não é diferente.. reinvento as sobras natalinas.. seja em tortas, panquecas, saladas, strogonoffs... e assim até acabar o "estoque" kkkkk.. bjokas lindeza e sucesso sempre

    ResponderEliminar
  18. Eu nunca como peru no Natal. Como polvo, bacalhau e cabrito - sem nenhum gosto em especial pelos últimos dois, pelo contrário, preferia peru :P
    Ainda por cima as sobras são mesmo versáteis. Essas travessas estão com tão bom aspeto! Gostei do truque de cozer a 'massa' antes, realmente às vezes fica estranhamente crua :)

    ResponderEliminar