quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

A (nova) manta de retalhos


A nova manta de retalhos - a que pomposamente chamei patchwork, sem o ser ... - já tinha sido mencionada Aqui e Aqui.
E digo que não é patchwork porque essa é uma arte que exige profundos conhecimentos, rigor de arquiteto, acutilância de construtor de pontes, que não sou, nem tenho!
Sou aventureira, é isso!
Enfrento desafios sem temor nem pudor apenas porque sei que se correr mal as consequências são nulas!
Não me tenho dado nada mal com a estratégia .
 Esta fez de mim o que sou ... um pouco génio, um pouco médico, um pouco louco - que, diz a sabedoria popular - dos três, todos temos um pouco.
Portanto arrisco, imune a rigores que definitivamente não cumpro.
 E mais, além de prevaricar, aconselho a que todos o façam!
Foi assim com a cozinha, com a pintura (de telas e de móveis), com  o tricô e o crochê e também com a costura - só não me atrevo (ainda) a consertar carros!
Esta é, portanto, a história da minha vida.

Feita esta introdução, debrucemo-nos agora sobre a manta de Patchwork - vou chamar-lhe assim pois é assim que a percepciono!
Costurada, aguardava!
O quê?
Melhores dias - isto é, que me apetecesse pegar nela.
O apetite chegou!
Chegou na tarde de terça-feira de Carnaval, dia de chuva intensa em que apenas apetecia ficar em casa - sempre que posso, muito coerente,  sou escrava dos meus apetites!
Em casa fiquei.

Oportunamente tinha comprado a manta térmica para concluir o trabalho - oh! tarefa detestável!
Aquela sanduiche de três camadas é um verdadeiro teste à paciência e à perseverança!
Na loja, uma grata surpresa me esperava, uma novidade espetacular, fantástica, formidável!




Existe esta modalidade - manta térmica já forrada, o que equivale a dizer que a sanduiche se faz apenas numa operação

Sobre o pavimento estiquei a manta térmica e sobre ela o tecido.


Conclui que é imprescindível deixar uma margem de segurança na manta térmica, porque o tecido, deve ficar o mais esticado que for possível.
Portanto, como a imagem documenta, deixei uma considerável margem de manobra.

E saquei dos alfinetes!


Depois, "de gatas" foi alfinetar e alfinetar e alfinetar ...
Cedo conclui, que os ditos eram insuficientes - que chatice!
Para alguma coisa, porém, servem as lojas chinesas, que não fazem pausas nem intervalos!


Lá fui!
Ouvi o  "Olá amole!", do costume, por parte da simpática dona, mas consegui, o material!

Depois de muitos, muitos, muitos alfinetes, de lancinantes dores nos joelhos- apesar da almofada protetora - dei por concluída a tarefa.
A seguir recortei o excesso de "recheio" e pronto!

Assim contado, até parece que foi simples ...

... foram, porém horas de alfinetes.

Quando me preparava para coser à máquina as costuras ao longo das emendas, que constatei?
Apenas isto:
- A manta é excessivamente volumosa, não "costurável" à máquina!
- Que fiz?
- Iniciei a tarefa cosendo as costuras manualmente!
Estou tão feliz com a empreitada!
Vendo, porém,  o lado positivo da coisa, concluo que em nada sou superior às mulheres que chegando à América aí iniciaram a técnica.

Olha! Sinto-me quase estrela de "uma casa na Pradaria"

Beijo
Nina

38 comentários:

  1. Nina...valeu bem a pena toda essa folia pois a manta ficou espetacular...envolta em bom gosto e bem original!
    Boa noite e bj

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Nina,
    Agora compreendo. Horas e horas de alfinetes, quer dizer;)) horas e horas de paciente costura!
    Mas que ficou com um belo e perfeito trabalho ficou!
    Já cosi umas almofadinhas manualmente, mas uma manta dessas, um enorme desafio!
    Parabéns pelo seu empenho na conclusão da obra!
    Assim são os guerreiros. Não desarmam perante seja qual for a dificuldade! Só assim saem vencedores!
    Ficou excelente a sua manta!
    Um beijinho e feliz serão.
    Ailime

    ResponderEliminar
  3. Puxa vida!! mas que perrengue! Sabe que minha irmã que faz peças em patch, quando faz mantas/colchas, manda costurar e fazer aquelas costuras com desenhos em pessoas que tem máquinas que correm numa mesa enorme... Legal você se aventurar em costurar à mão. Demorará muito!! mas ficará um trabalho impar.

    bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria eu que por aqui houvesse essa possibilidade. Acho que não há!
      Obrigada, Ká.
      Beijo

      Eliminar
  4. Puxa, que trabalheira ... não me estou a ver com paciência suficiente, mas ficou bem gira e super quentinha, de certeza :)
    gulosoqb.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. QUE TRABAJO!!!!!
    PERO CLARO QUEDA PRECIOSA Y PERFECTA!!!
    SI A MANO ES MEJOR MAS BIEN CONFECCIONADA.
    LA MAQUINA LA ESTIRA UN POCO.
    CHAUCITO

    ResponderEliminar
  6. Que idea más buena la de las agujas imperdibles , así es mucho más facil acolchar. ¡ Me la apunto! Te ha quedado preciosa y gran colcha. Besos.

    ResponderEliminar
  7. Meu Deus , eu nem quero imaginar o trabalho que tens pela frente. Mas a manta esta linda. Vai valer a pena todo esse trabalho. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Nina...se vier até Montemor...passe em Tentugal e visite a confeitaria Monte Carmelo que tem a doçaria mais gostosa...broa e pão espetaculares!
    Sei que há ali perto o Convento de São Marcos...digno de uma visita e que ainda não conheço por aguardar dias soalheiros!
    Boa noite e bom passeio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Maria da Graça. Sugestão anotada.
      Beijinhos

      Eliminar
  9. olá Nina, os meus Parabéns! Não só pela magnifica manta que está linda mas também pela coragem que teve para fazer um trabalho desta envergadura! Admito que este tipo de trabalho não é para mim! Prefiro mil vezes mais tricotar meias! Beijinho com muito carinho da Maria do Rosário *capinha*

    ResponderEliminar
  10. Isto é que é ser artista, hein? Dás a volta ao "texto" e tudo bate certo. Adorei a atitude perante o novo desafio: não há máquina, há mãos! Estou cheia de vontade de ver o resultado final. Força!

    ResponderEliminar
  11. Ficou lindíssima. Valeu a pena o trabalho.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  12. Que coragem! Mas acredito que vai valer a pena. Eu tenho uma singer das antigas que vai resolvendo o que a máquina mais nova não consegue :) Quanto à manta está muito gira, gosto muito da forma como estão organizados os retalhos ... já a tempos que ando com vontade de fazer uma, mas ainda não ganhei coragem. :)

    ResponderEliminar
  13. Puxa a vida, está mesmo bonita! Esses tons pastel ainda a tornam mais perfeita! Gabo-te o gosto, a paciência, a preserverança! És mesmo uma estrela! Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Que legal Nina! Maravilha! Um dia me arrisco! Ficou linda!!

    ResponderEliminar
  15. Finalmente alguém me explicou a ardua tarefa de fazer uma manta! Mas não me atrevo Nina!!Apesar de achsr essa manta linda! Parabéns e um beijinho. Manuela

    ResponderEliminar
  16. Finalmente alguém me explicou a ardua tarefa de fazer uma manta! Mas não me atrevo Nina!!Apesar de achsr essa manta linda! Parabéns e um beijinho. Manuela

    ResponderEliminar
  17. Bem pode sentir-se uma estrela pois a manta está espantosa! Que trabalhão e imagino as dores nos joelhos (não poço falar em joelhos... lol caí há uma hora na cozinha e estou com gelo arrasada de dor no joelho direito...). Parabéns, é um trabalho que aprecio mas pelo qual não sinto simpatia em fazer.
    Beijinhos,
    Ana Love Craft
    www.lovecraft2012.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. Oi Nina,

    que trabalho trabalhoso...rsrs Mas é muito bom dar cabo de trabalhos que ficam à espera disso e esta sua colcha ficou muito bem feita! Acho que as americanas do norte que foram pioneiras na pradaria, costuraram a mão por um bom tempo e elas o tinham! Se você
    costurar a mão poderá mesmo sentir-se uma delas flor, só sei que depois de pronta ou quiltada (já ouvi pessoas falarem assim) terá um visual ainda mais encantador! Mais parabéns guapa!
    Eu ainda estou sem ânimo, desmanchei duas vezes uma blusa de crochê que agora está guardada esperando que me dê os "cinco minutos" para tentar de novo...rsrs
    Beijão,
    Lu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lu, querida, sem ânimo (será do calor?), mas sempre com invejável talento.
      Beijo

      Eliminar
  19. Sim, como a senhora Ingalls em Little House on the Praire.
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. So much work - but beautiful blanket!
    Beijos Crissi

    ResponderEliminar
  21. Olá Nina, ficou muito linda, apesar do trabalho, o resultado final foi maravilhoso....parabéns,bjo

    ResponderEliminar
  22. Tão linda Nina :)
    Muito trabalho, imagino, mas vale bem a pena :)
    Belo trabalho :)

    ResponderEliminar
  23. Os meus parabéns pela empreitada, mas não me atrevo a coisa tão grande! Estou a terminar um caminho de mesa, que mostrarei em breve e a parte da junção do tecido principal, com o forro e nem sequer leva miolo devido à natureza do trabalho, e a alfinetada medonha que exige deixaram-me louca e não tem nada a ver com a dimensão dessa manta. Está lindíssima já, nem quero imaginar o final. Não quero imaginar, mas quero ver! Parabéns!

    ResponderEliminar
  24. Querida Nina,
    já me ri (e obrigada por isso!) com o teu divertido texto. Continuas um génio em tudo a que deitas a mão, disso ninguém tem dúvidas. E quanto a consertar o carro... até acredito que, tentando, irias conseguir... mas os carros agora são de mecânica sofisticada... vão às máquinas!
    A tua manta está muito bonita e foi boa ideia utilizares essa forra, apesar de não caber na máquina. Já fiz uma mais fina e só lhe dei uns apontamentos de pespontos. Talvez a minha fosse menos espessa. No youtube vi coser às tiras.
    Já estive a olhar para os teus quadros e queria muito adivinhar qual deles foi obra tua. Gostei de todos e não consegui adivinhar!...
    Como eu vinha ao norte por uns dias, trouxe uma manta de retalhos de lã que não consigo estender no chão de Coimbra. Coloquei-a em cima da cama, mas está a crescer para um lado e não consigo acertá-la. Aqui tenho muito espaço, mas faltou o essencial: vontade! Vai ficar cá à espera de melhores dias. Assim como assim já a comecei há tanto tempo... mais algum não fará grande diferença.
    Amanhã regressamos diretos a Coimbra. O tempo não irá melhorar por estes dias e só iremos passear quando o sol quiser aparecer.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Teresinha, a tua avaliação encoraja-me - avaliação de expert!
      Em privado ainda deslindarei o mistério das pinturas ... talvez, quem sabe?
      Beijinhos

      Eliminar
  25. Nina, amo suas postagens e pareço definitivamente estar dentro do post a imaginar cada detalhe, cada pequeno gesto...
    Amei sua empreitada e sei que será um sucesso e lindo de se ver.
    Beijinhos de muita luz pra ti.

    ResponderEliminar
  26. Olá Nina, que saudades!
    Não fiquei muito admirada, pois da tua cartola saem sempre coelhos (ideias).
    Fizeste bem em dar a volta, mas quando se trata de patchwork, o melhor é mesmo comprares um forro 100% algodão (que não encolhe quando lavares a tua manta) com a espessura adequada e parece algodão em rama, só que é muito mais cara. Aguardo por mais novidades tuas. Quanto a mim, sem tempo nenhum. Beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Não tenho feito nada de trabalhos manuais.
    As vezes tenho até vontade.

    ResponderEliminar
  28. Escreves os posts mesmo de uma maneira caraterística e divertida :D
    A manta ficou muito bem, ainda bem que houve atalho para a sanduíche :)

    ResponderEliminar
  29. Olá, Conceição!
    Que bom receber o teu comentário.
    Obrigada pela sugestão .
    Também tenho muitas saudades tuas, mas o importante é que estejas bem.
    Beijinhos d Nina

    ResponderEliminar