segunda-feira, 18 de março de 2019

Partindo de Ho Chi Minh




Só hoje senti ânimo e capacidade para voltar ao registo do percurso da viagem, porque, contra todas as minhas próprias expectativas, fiquei num estado de exaustão verdadeiramente incapacitante, adormecendo durante o dia - assim que me sentava - e acordando pelas 3 ou 4 da madrugada completamente desperta.
 Foi uma adaptação difícil e, principalmente, muito mais demorada do que imaginava.

O facto é que começo a sentir-me normal e com vontade de registar uma experiência incrível que, seguramente não repetirei - não porque não tivesse gostado (adorei) -, mas porque há muito mundo ainda para ver.

Curiosamente, na chegada ao Vietname não senti diferença horária e acompanhei todos os percursos atenta e desperta.

Aí e então, a grande surpresa foi o trânsito, o caos absoluto, o oceano de motas, a total desobediência face a semáforos ou passadeiras. Incrível.

Grande parte da população desloca-se de mota. São aos milhares ziguezagueando pelas ruas. Sem colidirem. Sem atropelarem ninguém.
Numa das noites, distrai-me e fiquei isolada do grupo, do outro lado da rua. Era preciso atravessar. Pus um pé fora do passeio. Dei dois ou três passos e gelei. Petrifiquei no meio das motas. Todas apitando. Todas avançando.
Um polícia que me observava, gritou:
-Keep walking!
Don't look!
Não consegui. 
Então, o polícia, num gesto raro, mandou parar o trânsito para que eu atravessasse.
- Obrigada! Muito obrigada, senhor polícia vietnamita!
Não fosse ele, desconfio que ainda hoje lá estaria no meio do enxame das motas - passo o exagero!

Nas motas seguem pessoas, famílias inteiras, animais, fardos, montanhas, resmas de tralha!













A par com o caos, em cada canto e recanto, a natureza exuberante:




Nesse mesmo dia, seguiu-se a visita ao Palácio da Reunificação, antigo Palácio Imperial e sede do governo de Saigão durante a guerra e  ainda ao Museu de Memórias da Guerra.




Esta a imagem tristemente famosa da menina nua , fugindo aos bombardeamentos americanos... muito impressionante!

Multidões de turistas, na sua maioria orientais, na sua maioria chineses




Nesse mesmo dia, embarcámos para Hué, num curto voo doméstico.


De Hué, darei informações no próximo post.

Beijo
Nina



25 comentários:

  1. Adorei as fotos! :) Acho que também ia gelar no meio desse trânsito, mas é incrível como toda a gente se parece safar no meio desse caos! Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Nina,
    Agora fez-me sorrir e recordar-me de uma vez em que em Lisboa, era ainda muito jovem, saí na estação de Metro do Marquês de Pombal e deparei-me com aquela enorme rotunda, já naquela época cheia de trânsito com várias filas, que não paravam, e eu sem saber como sair dali... E nem me lembro como fiz...Também fiquei agarrada ao chão...
    Posso imaginar como se sentiu naquele momento! Deve ter sido horrível!
    Gostei de saber mais sobre o Vietname. Obrigada.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  3. Muy bonitas fotos y precioso viaje.
    Besitos

    ResponderEliminar
  4. Deve ser uma viagem incrível :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que maravilha de publicação:))
    Adorei :))

    Hoje:- Mesmo que faltem as forças, eu vou...

    Bjos
    Votos de uma óptima noite.

    ResponderEliminar
  6. SUPONGO QUE TENDRAS UN MONTON DE FOTOS Y RECUERDOS PRECIOSOS.
    GRACIAS POR COMPARTIR.
    CHAUCITO

    ResponderEliminar
  7. He visto por TV el enjambre del tránsito y lo que llama más la atención es que ¡no chocan entre ellos!.
    Besos

    ResponderEliminar
  8. Que belo passeio. Passeio histórico mesmo! Menina, quantas motos. Parece um passeio ciclístico. Imagino a aflição para atravessar a rua!
    Bjs e ótima semana!
    http://dedeartes-denise.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Gostei da foto reportagem, que viagem interessante
    Bjs

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Homens de tanga

    ResponderEliminar
  10. Que lindas fotos,...Até assusta esse trânsito!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  11. How many people are in street with motorcycle? Incredible

    ResponderEliminar
  12. Que fotos maravilhosas.
    Eu também ficaria assustada se tivesse de atravessar uma rua no meio dessas motos todas.
    Felizmente que já está bem.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Belas fotos, Nina! Imagino o teu susto por teres de atravessar a rua com tantas motos.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  14. Oi Nina... que assustador esse monte de motos, mas deve ter sido uma experiência incrível visitar esse país!!!
    Beijosss

    ResponderEliminar
  15. Nina querida, obrigada pelo carinho na ocasião do meu aniversário... Beijinhosss!!!

    ResponderEliminar
  16. A reportagem do trânsito está soberba, até nós ficamos assustados:).
    Quanto ao resto, julgo que será uma cultura bem diferente. Curiosa, isso sim. A foto da menina nua é de facto impressionante. Não sei como podemos permitir que estas coisas aconteçam, somos tantos contra tão poucos...e não conseguimos. Ou não queremos conseguir. Não sei.

    ResponderEliminar
  17. Viagem interessantíssima, Nina! Belas fotos e o seu texto sempre instigante... Muuito bom!

    ResponderEliminar
  18. Olá Nina, fico sempre fascinada com as grandes viagens e ansiosa que os "miúdos" cresçam para que eu também as possa fazer :)))
    beijinhos

    ResponderEliminar
  19. OI Nina,
    Deve ser um passeio enriquecedor, mas que quantidade de motos assustadora!!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. A mí se me haría un nudo en la garganta en muchos lugares que nos muestras en estas fotos.

    ResponderEliminar
  21. Estão fabulosas as imagens... e de facto... essa legião de motas... nesse caos organizado... deve ser algo avassalador... e assustador de enfrentar, para passar para o outro lado...
    Terão sido dias, inesquecíveis, nessa cultura, tão diferente da nossa!...
    Grata pela partilha, Nina! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  22. Outros costumes... outra cultura é outro trânsito!
    Olhares que já são uma marca desse interessante recanto!!!
    Bj

    ResponderEliminar