quarta-feira, 24 de julho de 2019

Há que reagir!


Dizem que somos - seres humanos -  capazes de grande poder de adaptação, para o bem e para o mal. É uma questão de sobrevivência da espécie. Mesmo quando tudo parece de tal modo triste que apetece desistir, vamos buscar forças não sei onde e acabamos por reagir. 
Incluo-me nesse número, daqueles que, felizmente,  reagem.

Depois de um triste desabafo, sigo em frente como tem que ser. Invisto em coisas pequeninas, sem grande importância, mas exigentes face às minhas competências. Falo de costura. Não sei costurar. Já tentei. Tive até algumas aulas. Sem êxito.
Ainda assim, arrisco e o que para alguém habilitado não passam de tarefas simples, para mim são desafios.

Desta semana não passa. 
Serão concluídas as tarefas que me aguardam há semanas.
Estas:

Comprei online este vestido.
 Azul e branco, em croché.
Quando o vesti foi dececionante - um saco informe com um decote até ao umbigo.
Horrível!



Acontece que a ideia é gira!
As cores, a textura e a franja  na bainha.
Achei que tinha possibilidades e por isso não o devolvi.

Depois de muitas experiências - com um top por baixo, uma camisa por cima, um cinto largo, um cinto fino - continuei a achá-lo imprestável. Mas, reafirmo, gosto da ideia em si.
Descobri que a salvação será cortá-lo e transformá-lo em saia. Vou arriscar. Sem medo. E se correr bem, mostro! Se correr mal, não terei perdido nada.

Segunda tarefa - esta , até para mim, fácil:


Subir a bainha destas calças.

Não são novas e usei-as com sandálias de salto alto.
Agora pretendo vesti-las com chinelos, coisa ligeira para a praia.
Aqui vou sair-me bem, de certeza.

Terceira tarefa:


A este vestido de linho pretendo encurtar as mangas

... retirando este punho que só atrapalha - não é carne nem peixe, ficando ali por altura do cotovelo a tolher-me os movimentos.

Um dos punhos já foi à vida.
Falta marcar a altura certa nas duas mangas e tratar da bainha.

São projetos. Projetos pobres, mas projetos. Porque não há situação pior do que perder a vontade. Ficar vazia de querer.
Acontece-me e não gosto.
Dou-me um tempo de tristeza e depois estrucho e reajo.

Beijo
Nina

23 comentários:

  1. Lindas peças :)

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderEliminar
  2. Nina,feliz de tu que artisca e sempre acerta nestes projectos. Eu trouxe algumas roupas de Portugal na mesma situação. Já liguei para minha costureira e logo terei estas chatices resolvidas.Boa noite Ninita! Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Boa sorte em suas tarefas!
    Sou péssima com agulhas, linhas e tesouras. Um verdadeiro desastre! Mal sei fazer uma bainha ou pregar botões!

    ResponderEliminar
  4. Oi, Nina!

    Espero que os projetos sigam de acordo com o esperado! Concordo com você, temos que reagir e seguir em frente. Sempre...

    Abraços, Cris

    ResponderEliminar
  5. Resolvi o problema de fazer bainha de calças, cortando elas com a tesoura de dentes (nem sei o nome dela).
    Sou péssima máquina mas tento.

    ResponderEliminar
  6. Boa, Nina. É isso mesmo. A costura é o meu ponto entre os vários pontos fracos. Mas também vou arriscando umas coisinhas pequenas. Que, de certeza, não me apetecem como obstáculo ao desalento.

    ResponderEliminar
  7. Olá! Gostei de ver+lá tao empenhada em seus projetos de costura. Aceitar desafios é bom para o ego
    Parabéns ? Espero que consiga atingir seus objetivos. Abraços.

    ResponderEliminar
  8. Bom trabalho amiga. Tenho a certeza que se vai sair bem.
    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Lots of distracting things to do.Great medicine!

    ResponderEliminar
  10. É nas coisas básicas (sem interesse diariam alguns) da vida que conseguimos manter a nossa saude mental. Não podemos estar sempre sujeitos a coisas estrondosas, coisas maravilhosas ou horriveis que nos fazem luzir os led's todos ao mesmo tempo. Precisamos do reset e esse só se consegue com tarefas básicas, mesmo que não sejam nossa rotina. Avance que vai bem encaminhada!

    ResponderEliminar
  11. Gosto das peças. Não tenho é paciência para a costura:))

    Hoje:-Pétalas de rosa em cálidos sorrisos

    Bjos
    Votos duma óptima Quinta - Feira.

    ResponderEliminar
  12. Não é um "risco" muito arriscado comprar roupa online? É como eu sugerir à minha mulher para me oferecer um par de sapatos sem possibilidade de troca ou devolução. Poderá ser cómodo, mas arriscado... A propósito do seu desabafo introdutório, deixe-me dizer que dá gosto ver a sua pertinácia e perseverança em domar a sua vontade, tão típico da mulher do norte (desculpem-me as outras).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Joaquim!
      Comprar online é muito prático. Encomenda e dias volvidos a coisa acontece. Se não gostar ou não servir ou mudar de ideias, devolve e o dinheiro é devolvido no cartão. É preciso ver onde e a quem compra - só marcas conhecidas! Nunca tive problemas.
      Em 90% ( ou mais) das situações não devolvo. Já vê, comigo funciona.
      Obrigada por nos distinguir (as mulheres do norte) mas acredito piamente que se aplica à generalidade das mulheres.
      Um abraço.

      Eliminar
  13. O vestido parece tão giro! Mas na certa vai dar uma saia bem bonita. Depois diz.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Muito bem, Nina. Há que reagir sempre! Belos projetos que tens entre mãos. Depois gostava de ver como ficou a saia. O padrão é muito bonito.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  15. São projectos que ajudam a manter ativa a nossa criatividade!!! Bj

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde Nina,
    Grandes projetos direi eu que me sentiria impotente perante tais desafios dada a minha inabilidade para a costura!
    Mas a Nina, Mulher do Norte, que é, não dá tréguas! Excelente. Vá em frente e depois mostre-nos,))!
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderEliminar
  17. Nina, como gosto de ler seus textos, tão bem escritos, tão divertidos. "Ficar vazia de querer" é, certamente, o fim de tudo! Lindo texto. Beijos

    ResponderEliminar
  18. Dois destes projectos para alterar, já me apercebi que correram muito bem!...
    Adoro o tecido das calças e o tom!...
    O vestido realmente ficou bem melhor sem os punhos...
    E a Nina, como tem imensa habilidade para o tricot, certamente adaptará boas soluções, para tentar fazer do vestido de renda, uma saia... também acho que esse será o projecto mais arriscado... mas sem se tentar... não se chega a saber se se consegue arranjar solução ou não!...
    Se correr bem... óptimo! Se não correr... fica a experiência... Mas eu até acho que a Nina, se vai sair melhor do que pensa, neste projecto em renda!...
    Beijinhos! Bom fim de semana! Aqui... chove torrencialmente! Pode uma coisa assim?... Mas se é para não haver incêndios... pois que chova, então!...
    Ana

    ResponderEliminar
  19. "Não há situação pior do que perder a vontade. Ficar vazia de querer", que belas frases, e estou de acordo, por isso que penso que é sempre bom sermos fiéis à nossa essência mais verdadeira, assim não se esgotam os nossos quereres! Um abraço!

    ResponderEliminar