quarta-feira, 13 de maio de 2015

Tralha ...

Tenho muita, muita tralha!
Cansa-me a falta de espaço, cansa-me o atafulhamento, cansa-me, cansa-me muito.
Porém, destralhar é igualmente cansativo.
Destralhar por atacado é tarefa diabólica.
Tenho, no entanto, a noção clara e indesmentível que o destralhamento é saudável.
Tenho igualmente presente que não quero arruinar o meu dia com tarefa tão mortificante.
Decidi!
Pensei!
Descobri!
Será assim:
- 5, 10, quando muito, 15 minutos por dia. Não mais!
Sem disciplina rígida que não tenho feitio para sofrer.
A disciplin,. a haver, será determinada pelo meu humor.

Por onde começar?
- Por onde me apetecer!

Por exemplo, hoje, enquanto, depois de almoçar, metia a louça na máquina, reparei que, sobre o balcão da cozinha, num recipiente próprio, jaziam - como se de mortos se tratassem ... - jaziam, dizia, um conjunto de acessórios que, otimista, num dia remoto,  comprei, achando que me seriam imprescindíveis nos cozinhados!
Não são, não foram e seguramente nunca serão.
Meti-os num saco.
Fechei o saco.
Olhei a bancada livre de tralha.
Demorei menos de 5 minutos.
Foi a minha ação destralhadora diária.
Suspirei de alívio.
Sorri de felicidade.
Não doeu nada.
Aconselho!

Beijo
Nina

26 comentários:

  1. Exatamente. Um bocadinho cada dia, é muito mais fácil!
    :)

    ResponderEliminar
  2. ME PASSA IGUAL!!!!
    CON MUCHAS COSAS....Y CON LAS TELAS...ESO SI QUE ES UN SUPLICIO.
    PERO LAS TELAS NO PUEDO TIERARLAS..
    PRO MIL COSAS FEAS QUE NO ME GUSTAN -
    LAS DEJO COLGADAS DE EL CONTENEDOR...Y DESAARECEN.
    QUIERO PENSAR QUE ALGUIEN LE HACEN FELIZ.
    CHAUCITO

    ResponderEliminar
  3. Nina, sou assim, um dia qualquer, quando me apetece, vou la e em 5 / 10 minutos no máximo, ''destralho'' de algo que julgo ser inutil e pronto, mas assim sem compromisso, sem neuras, quando da, quando quero, sem pressa, sem cobrança...apenas ''destralhar''...bjucas dia lindo pra vc

    ResponderEliminar
  4. Não posso deixar de rir imaginando a cena! Preciso com urgência destralhar!!
    bjo
    Denise

    ResponderEliminar
  5. Ando nessa fase também!
    Apetece-me "destralhar" apetece-me mudar alguns detalhes da decoração da casa para ficar com outro ar, mas também algo sem compromisso, ainda só estão algumas ideias a pairar na minha cabeça para ir concretizando conforme me apetecer.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Tão eu... Também estou nessa fase que os tralhas estão me incomodando. Agora estou assim, fiz um limpa nas minhas gavetas, roupas 10 anos sem uso... meti no saco e nem pensei mais no que era, doei... Souvenir, ah!...os souvenir, simplesmente detesto, mas todos insistem em me dar, agora já jogo foro quando estou indo pra casa, se for bonitinho coloco em alguns lugar que alguém goste e leve.... Vai com Deus.... Daqui uns 5 anos acabo de destalhar....

    ResponderEliminar
  7. Nina...uma excelente sugestão e rapidamente nos desfazemos do que não nos faz falta!
    Na casa do Porto...fiz isso...até me mudar para cá!
    Nesta casa...dos meus pais...ainda há tanta para "destralhar"!!!
    Faço como a Nina...hoje um pouco...e amanhã outro tanto...pois tem de se ir com jeito!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
  8. Tem esse Blog aqui http://vidaorganizada.com/ que é muito bom, mas acha ela um pouco neurótica com arrumação. Será que precisa de tanto? Tô perdida... Eu tenho muita tralha, mas é tudo organizado... dá pra entender, não...

    ResponderEliminar
  9. Olá Nina!
    Realmente é preciso fazer isso, vamos acumulando e não damos conta, no princípio do ano com as obras na cozinha, destralhei muito, e faz muito bem, tudo fica mais leve e i que não tem serventia são energias paradas.Portanto parabéns pelo desapego.

    ResponderEliminar
  10. Boa noite Nina, sorri, porque sou um pouco assim!
    Tenho imensa tralha também! Ontem "remexi" na bancada da cozinha, mas com vontade de tirar tudo ou quase.))!
    Passando a outros géneros,))!
    Nem imagina a quantidade roupa antiquíssima que tenho destralhado nestes últimos três anos!
    Um pouco de cada vez e, assim como a Nina diz, por momentos a felicidade acontece!
    Muito mais tenho ainda a destralhar, mas também tem de ser em dias especiais ou então como a Nina, um quarto de hora por dia ou menos como lhe aconteceu!
    Beijinhos e um bom serão.
    Ailime

    ResponderEliminar
  11. Nina querida,
    A estratégia dos 15 minutos diários defendido pela norte-americana criadora do método Fly Lady e amplamente divulgado pela Thais do blog Vida Organizada para desentralhar, arrumar, organizar ou limpar funciona de verdade. É aquela história: um pouco a cada dia, todos os dias! Já experimentei e constatei que é eficaz, mas confesso que me falta a disciplina adequada para, de fato, implementar a tal estratégia diariamente. E é incrível como se consegue fazer muito em tão pouco tempo e o melhor: sem cansar!

    Beijinhos
    Ju

    ResponderEliminar
  12. Amanhã, feriado Municipal aqui na zona, uma parte do dia vai ser precisamente para "destralhar " uns armários que precisam urgentemente desse tipo de operação. Tem é de ser sem o marido ver.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Olha que esse sistema funciona mesmo :)
    E custa muito menos do que reservar meio dia para despachar tralhas.
    Seja como for, o resultado final compensa sempre. Liberta espaço e alivia-nos "a vida".
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  14. oi, Nina!
    Tenho duas habilidades:
    1) Livrar-me de tralhas
    2) Encher-me de tralhas.
    Portanto, vivo desentralhando tudo aqui em casa, e fico feliz, pois sobra mais espaço para 'entralhar' tudo outra vez.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  15. Poco a poco se llega lejos y no te vuelves loca con una tarea interminable.

    ResponderEliminar
  16. Faço isso na primavera e no outono. Sentimo-nos tão leves e livres!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. Isso ai
    Um pouco de cada vez
    Dois poucos feliz valem por três

    ResponderEliminar
  18. Noooossa!!! Sofro disso tbm! PRECISO destralhar! Essa semana destralhei meu guarda roupas e chamei uma amiga pra vir aqui escolher o que ela quisesse. Pronto... Eram 3 sacolas, sobrou meia sacola, que vai para algum lugar junto com roupas do marido. Agora preciso destralhar a sala... tem muitos papeis e outras coisas no chão, esperando um momento de ânimo para separar o que é necessário do que é lixo... falta ânimo :p rs
    Beijooo

    ResponderEliminar
  19. Nina, olá! Ainda bem, agradeço diariamente que sou desapegada a guardar objetos, mas (tem sempre o mas na vida , né?) maridão adora, ama colecionar coisinhas. Volta e meio preciso fazer uma super limpeza, senão...

    A gente fica tão, tão leve depois desses desapegos (e percebendo que nada daquilo nos era útil ou vital).
    Beijos mais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paula, eu estou ainda num processo de aprendizagem, mas evoluindo. As minhas gavetas têm cada vez mais espaço.
      Beijo

      Eliminar
  20. Concordo plenamente Nina :)
    Dá um gosto muito bom destralhar, mas cansa ;)
    Cada um tem de ir ao seu ritmo :) E num instante viu-se livre de uma tralha e foi fácil e rápido :D

    ResponderEliminar
  21. Bem, eu evito acumular tralha, às vezes calha receber coisitas que não preciso, normalmente dou-as a quem aprecia. Mas é um esforço diário, pois só compro mesmo se estiver a precisar, por mais tentadora que seja a oferta. Mesmo assim já tenho algumas coisas a mais (roupa, principalmente) mas já tenho uns sacos preparados para entregar... que leveza! Adoro ver espaços vazios!
    Força, minha linda, isso vai com calma e com muita paciência, para já adorei o teu método!

    ResponderEliminar
  22. Não tenho nada para me desfazer. Ou penso que não tenho.
    Tenho comprado pouco.
    O que adoro, são coisas de cozinha.
    Desses não quero me desfazer.

    ResponderEliminar
  23. Isso mesmo Nina,
    um passo de cada vez e quando perceber estará tudo nos conforme ;)
    Um beijo,
    A Casa da Mãe Jana

    ResponderEliminar
  24. Ontem estive a pintar e a arrumar a minha despensa e tentei destralhar, a prateleira mais alta que é a da tralha. Deitei duas coisas fora. Só duas, mas fizeram a maior diferença na arrumação posterior. Mas como por vezes não tenho coragem para destralhar, "adoro" quando alguma coisa cai e se parte. É doença, não é? Pelo menos não é bom. Mas atenção que não atiro ao chão de propósito, só fico feliz quando o que parte é tralha.

    ResponderEliminar
  25. Oi Nina, estou nessa árdua tarefa de desentralhar. Pior que terei um desentralhe total pois vou mudar de cidade, de estado, de região, quase de país ( o que confesso, tenho vontade) e não pretendo levar nada além dos objetos mais pessoais. Mesmo porque o transporte de uma mudança por quase 4 mil quilometros custa quase o mesmo que comprar tudo novo. Mas estou assim também, cada dia um pouquinho, mesmo porque nesse desenlace preciso continuar morando até a retirada total. A gente junta muitas coisas que não precisa, tenho descoberto coisas das quais nem me lembrava. Bjs
    Joana

    ResponderEliminar