quinta-feira, 6 de junho de 2019

D. Teresa





É a minha terceira leitura.  Desta vez, uma vez mais, descubro novas informações. Uma teia de dados que se entrelaçam explicam desfechos.Num obscuro universo medieval urdem-se intrigas, tal como hoje, com a diferença de que, atualmente, os agentes são profissionais, são  os 007 de Hollywood que daí, de então,  provêm.
Da mesma cepa, o acéfalo Trump e o escorpião com lânguidos olhos azuis -  como alguém já lhe chamou - Putin.

Nos sombrios, gelados, graníticos castelos e mosteiros vivia-se, resistindo a infiéis ataques , com recurso a paus, pedras e incandescentes chuvadas derramadas do alto das muralhas. Nada disso me espanta. Era mero sinal dos tempos, reflexo de precária tecnologia.

Mais chocante, o que realmente detém o curso da leitura, são as distâncias espaciais convertidas em tempo. Qualquer percurso constituía empreitada para semanas. Ir de Bierzo , na Galiza, para Leon era aventura que fazia perigar vidas - era o clima agreste, extremo, o terreno alcantilado, insidioso, onde um passo em falso equivalia ao fim da aventura, eram os bandidos à solta e, não imagino quantas mais inesperadas ameaças.
Em paralelo com atualidade, com o mundo em que vivemos, não são séculos que nos separam, é mais o resultado de uma viagem ao futuro, um delírio de Júlio Verne, inverosivelmente concretizado.

Por outro lado, o papel da mulher nada tem de passivo.
Teresa é decidida.
Teresa é poderosa.
A verdadeira heroína.
Teresa encanta-me.


Beijo
Nina




17 comentários:

  1. Boa tarde Nina,
    Gostei imenso do seu texto apresentando este livro que deve ser impressionante e belo.
    Vai ficar na minha lista. Quero ver se dou um "pulo" à Feira do Livro, em Lisboa.
    Um beijinho e obrigada pela dica.
    Feliz serão.
    Ailime

    ResponderEliminar
  2. EN LEON!!!DONDE YO ESTOY!!
    SI FRIO Y DURO CLIMA.
    SALUDITOS

    ResponderEliminar
  3. À luz dos nossos dias como as pessoas conseguiam viver há quase mil anos sem todas as coisas que o progresso nos troxe é uma incógnita.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Ao pousar o livro sobre um lençol em vez de o segurar — imperdoável não nos mostrar as suas unhas — deduzo que gosta de ler na cama (prática que nunca cultivei pois Morfeu acolhe-me ao fim de duas páginas).
    De Isabel Stilwell só conhecia a sua voz de cana rachada nos Dias do Avesso com o psicólogo da voz melíflua Eduardo Sá e que tinha dirigido a pueril revista Pais & Filhos.
    Portanto, em boa hora li a sua recensão da tripla leitura que fez de D.Teresa que despertou em mim o desejo de aprofundar conhecimentos sobre autora e obra.
    Consultado o Goodreads verifico que possui a excelente classificação de 4.24 estrelas em 5, e na WOOK pululam os comentários positivos dos quais destaco esta elucidativa e inabalável sentença: «Aprendi mais sobre a história de Portugal neste livro do que tinha aprendido no liceu».
    Está quase tudo dito. Anotado.

    ResponderEliminar
  5. Olá Nina,
    Sou fã do livros da Isabel Stilwell sobre as nossas rainhas.
    Já os li quase todos, mas o que gostei mais foi Catarina de Bragança.
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Sendo assim... levo a sugestão!
    Bom fim_de_semana Nina

    ResponderEliminar
  7. Que buena pinta tiene ese libro,gracias por la información.
    Besos.
    Chary :)

    ResponderEliminar
  8. Nina, li e gostei. Na altura também li "Assim nasceu Portugal" do Domingos Amaral e foi engraçado ver as diferenças no que a D. Teresa dizia respeito.
    Um bom fim de semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Portugal teve muitos Reis e Rainhas.
    E viveram numa época de muita riqueza.
    Vi isso agora na minha viagem.
    Fiquei interessada na história de amor de Pedro e Inês de Castro

    ResponderEliminar
  10. Nunca lhe liguei nenhuma. Prefiro o insubordinado do filho. Que não pagou a bula ao papa (não sei se era uma bula, mas não pagou).

    ResponderEliminar
  11. Oi Nina!

    Com certeza, uma boa leitura!

    Abraços, Iris

    ResponderEliminar
  12. Seguro también me encantaría Teresa si leyera el libro.

    ResponderEliminar
  13. Olá Nina
    Já tinha olhado para esse livro na livraria
    Obrigada pela tua partilha
    Agora quero mesmo ler
    Beijinho
    Desculpa a ausência longa, foi um turbilhão. Estou de volta <3

    ResponderEliminar
  14. Oi Nina... que leitura interessante, por aqui ainda não vi.
    Beijosss!!!

    ResponderEliminar
  15. Uma autora, da qual ainda não se proporcionou ler nada!...
    Mas esta sua descrição deste livro, Nina... aguçou-me a curiosidade!... Para registar na minha listinha de futuras leituras...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar