terça-feira, 2 de Setembro de 2014

1199 - Mercado das Flores

Nas margens de um dos muitos canais que cruzam Amsterdam, instala-se o Mercado das Flores.
Gosto de flores e de plantas em geral de uma forma tão absoluta e intensa que, caio com entusiasmo em qualquer chamariz.


Não foi a minha primeira visita.
Da primeira vez, há muitos anos, supus-me caída no paraíso, perdida, rendida, face à oferta.

Centenas, milhares, dezenas, centenas de milhar de pacotes de sementes e bolbos ...

... de todas as variedades possíveis, de todas as cores mais raras.

A propósito, comercializam-se também sacos ...

... e tamancos ...

... e miniaturas para a porta do frigorífico ...

... e até gravatas - para os mais ousados!

Pois então, lá fui!
Encontrei tudo isto.
O que não encontrei foi o encanto da primeira visita.
Tropecei, empurrei, fui empurrada por uma multidão enfurecida!
Era Agosto!
Mês que massifica, banaliza, destrói o charme de locais, noutra altura, mágicos.
Cada vez mais, Agosto, mês a evitar!
E eu, adoradora de plantas, pedi socorro, fugi, refugiei-me na possível solidão de ruas menores.
Agosto - de novo - mês a evitar!

Beijo
Nina



domingo, 31 de Agosto de 2014

1198 - Às vezes, a surpresa!

Disse e mantenho:
- Come-se mal na Holanda!
Muita fast food - pizza, pasta, hamburguer - e pouca cozinha autêntica.
Pouca, mas não nula. 
Que existe e eu provei:



Lombinho de porco com um estufado de legumes e puré de mirtilhos!

À parte, batatas fritas com maionese.
A acompanhar, um copo de vinho tinto Merlot!

Foi muito bom e muito agradável.
Sentar para jantar e ser bem servido.

Reparei que ao almoço, é prática corrente entre os residentes, recorrerem à sandwich, servida nas mesas das esplanadas.
Uma vez por outra, não me importo, mas, sempre, não!
Sou da escola do slow food, em que a mesa é ponto de encontro de emoções boas, acompanhadas por comida ainda melhor. Nada a fazer.

Em tempos, recebi em casa um holandês, escuteiro, que aqui viera numa ação de intercâmbio.
Na altura senti até angústia ao verificar que o miúdo só comia maçãs, não ousando provar nenhum dos nossos pratos.
Acabei por alimentar o rapazinho com pizzas e hamburgueres.

Na minha primeira visita à Holanda, fiz parte de um grupo de portugueses que aqui, em Portugal,  compraram o "pacote" completo com refeições incluídas.
Do grupo fazia parte um casal de meia idade. Deram-se pessimamente com o esquema, particularmente com a alimentação. A senhora não parava de se queixar, garantindo que só comia bananas para sobreviver e assegurando que "estava muito magrinha", o que comprovava metendo os dedos indicadores no cós das calças, mostrando que realmente estava muito largo.

Enfim, um povo brilhante em quase todos os aspetos, tem na gastronomia uma das suas debilidades.

Mas, é certo, que de fome não se morre.
Há sempre as bananas!

Beijo
Nina

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

1197 -O meu cabelo em férias!


Gosto muito de te ver,


...leãozinho ...

Caminhando sob o sol ...

Gosto muito de você, leãozinho ...

É a cantiguinha que não me sai da cabeça, desde que, ao levantar, me vejo ao espelho, até que ao deitar, me revejo.
Nem o chapéu disfarça.
É juba, mesmo!

Beijo
Nina

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

1196 - Middelburg

É perto desta cidade que se situam os famosos diques.
Tem uma dimensão agradável - não gosto do gigantismo de algumas cidades - com um centro fechado ao trânsito muitíssimo agradável.


Esta é uma das fachadas da câmara ...

... que sugere festa permanente.

Muitas bandeiras anunciando um futuro festival ...
... e uma parte antiga muito bem preservada.

Tem esplanadas ...

... canais, parques e jardins, comprovando que estas cidades são essencialmente concebidas para servir as pessoas.
Viver aqui, parecer-me-ia muito bem.

Beijo
Nina

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

1195 -Diques


Realmente impressionante a ação dos diques que, incansáveis, continuam roubando terra ao mar.
Merecem um  última postagem.


Esquematicamente observa-se a sua construção perpendicularmente à linha da costa.

Do alto da duna, uma perspetiva da praia, com um excelente restaurante/bar em primeiro plano.
Aqui come-se peixe recém pescado.
Ao longe, os diques.



Noutro ângulo ...

... a sucessão das enormes estacas enterradas na areia.

Definitivamente, não é a fé que move montanhas.
O que as move é o engenho e a perseverança.

Beijo
Nina

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

1194 - Holandeses

Na praia ...
Brincando de veraneantes, vestidos, na praia açoitada por vento cortante.


Na água, surfistas protegidos, por fatos isolantes ...

Alguns, poucos, bravos, enfrentam o mar.

Outros, agasalhados, arriscam molhar a ponta do pé.

Ou aproveitam o vento para brincar ao Verão, o único que conhecem, assim bravio, inclemente.

Holandeses ...

... loiros e lindos ...

... no que pensam ser um dia de verão.


Beijo
Nina

domingo, 24 de Agosto de 2014

1193 - Na praia


Fui à praia em Middelburg.

Vi areia fininha e escura, muitas conchas ...

... e o estratagema utilizado para reter areia.

São postes de madeira enterrados junto ao mar, que, comprovadamente retêm a areia,
num país que tem crescido roubando "terra" ao mar.

O que não consegue a perseverança?
As gaivotas aproveitam os laguinhos assim criados e a foto resulta quase fantástica.

Do alto de uma duna avista-se a praia (gelada), a estratégia dos postes e um conjunto de casinhas para veraneantes.

Foi aqui, nesta praia de nome impronunciável, que testemunhei o milagre - o da multiplicação das dunas!

Do outro lado, as pastagens imensas e as vaquinhas holandesas que se limitam a ser imprescindíveis e  a enfeitar a paisagem.
Beijo
Nina