quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

1196 - Middelburg

É perto desta cidade que se situam os famosos diques.
Tem uma dimensão agradável - não gosto do gigantismo de algumas cidades - com um centro fechado ao trânsito muitíssimo agradável.


Esta é uma das fachadas da câmara ...

... que sugere festa permanente.

Muitas bandeiras anunciando um futuro festival ...
... e uma parte antiga muito bem preservada.

Tem esplanadas ...

... canais, parques e jardins, comprovando que estas cidades são essencialmente concebidas para servir as pessoas.
Viver aqui, parecer-me-ia muito bem.

Beijo
Nina

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

1195 -Diques


Realmente impressionante a ação dos diques que, incansáveis, continuam roubando terra ao mar.
Merecem um  última postagem.


Esquematicamente observa-se a sua construção perpendicularmente à linha da costa.

Do alto da duna, uma perspetiva da praia, com um excelente restaurante/bar em primeiro plano.
Aqui come-se peixe recém pescado.
Ao longe, os diques.



Noutro ângulo ...

... a sucessão das enormes estacas enterradas na areia.

Definitivamente, não é a fé que move montanhas.
O que as move é o engenho e a perseverança.

Beijo
Nina

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

1194 - Holandeses

Na praia ...
Brincando de veraneantes, vestidos, na praia açoitada por vento cortante.


Na água, surfistas protegidos, por fatos isolantes ...

Alguns, poucos, bravos, enfrentam o mar.

Outros, agasalhados, arriscam molhar a ponta do pé.

Ou aproveitam o vento para brincar ao Verão, o único que conhecem, assim bravio, inclemente.

Holandeses ...

... loiros e lindos ...

... no que pensam ser um dia de verão.


Beijo
Nina

domingo, 24 de Agosto de 2014

1193 - Na praia


Fui à praia em Middelburg.

Vi areia fininha e escura, muitas conchas ...

... e o estratagema utilizado para reter areia.

São postes de madeira enterrados junto ao mar, que, comprovadamente retêm a areia,
num país que tem crescido roubando "terra" ao mar.

O que não consegue a perseverança?
As gaivotas aproveitam os laguinhos assim criados e a foto resulta quase fantástica.

Do alto de uma duna avista-se a praia (gelada), a estratégia dos postes e um conjunto de casinhas para veraneantes.

Foi aqui, nesta praia de nome impronunciável, que testemunhei o milagre - o da multiplicação das dunas!

Do outro lado, as pastagens imensas e as vaquinhas holandesas que se limitam a ser imprescindíveis e  a enfeitar a paisagem.
Beijo
Nina

sábado, 23 de Agosto de 2014

1192 -Quero!


No último posto falei de Breda, uma cidade pequenina que me encantou.
Dada a sua dimensão, consegui - acho! - apercerber-me do estilo de vida dos seus habitantes, gente de muito bom gosto.


Numa loja de decoração descobri esta beleza!

Até hoje, nunca me aventurei no mundo das tintas e dos pincéis.
Parece-me que chegada é a hora de me iniciar.
Não resisto a esta maravilha.




Na mesma loja, vi esta estante, para meu gosto, irresistível.
Para esta não tenho "unhas". Acho que a técnica se chama "decapé" e, por acaso, tenho, na minha sala, uma mesa de apoio e algumas cadeiras com este tipo de pintura que, no fundo, é quase invisível e deixa ver, à transparência, os veios da madeira.
Uma maravilha!

A cómoda, por outro lado, parece-me ser um desafio a encarar.
Veremos.

Beijo
Nina

sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

1191 - BREDA



Nada se compara às cidades pequeninas, pouco conhecidas, que são apenas um ponto no mapa.
Para ter a liberdade de as conhecer é essencial a liberdade. 
Nada de andar a "toque de caixa", às ordens de um terrível guia turístico.
Já viajei assim. Agora não!
 Agora, liberdade é essencial e vagueia-se ao acaso, sem obrigação, sem relógio.
Assim descobri Breda, a extraordinária Breda!




Não é local de extraordinários momentos. Limita-se a ser extraordinária!


Tem canais - claro - verde, gente de muito bem com a vida, dando-se tempo, nas inúmeras esplanadas.

Ao dobrar uma esquina ...

... que vejo?
Uma suculenta pereira!
Que lindo!

E há recantos e cantos encantados ...

... com anjinhos, mesas e cadeiras convidativas ...

... onde o mais humilde cafezinho sabe diferente!


Claro que a Catedral está lá, harmoniosa, linda recebendo, amiga, a preguiça de quem passeia.
Lembrar, não esquecer de modo algum, este nome:
Breda!
Na Holanda, é claro!

Beijo
Nina

quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

1190 - A doçura dos pontos!

Holanda é um país frio, de verões curtos e longos invernos, o que leva a que se passe muito tempo dentro de casa.
Por isso, e porque há por aqui muito talento, as holandesas cultivam a beleza das pequenas coisas.


Costuram vestidos de outros tempos ... os favos de mel que eu própria usei!

Bordam ...

... bordam muito!

Dão vida a tecidos lindos ...

Criam!
Irresistível este carrinho de bebé para boneca ...

... e esta maçã, como acabamento de pano de prato.

Encontrei, muitas, muitas lojas. Todas cheias de clientes. E o resultado é o que mostrei.
Ouvi dizer que, por aqui, se consideram as holandesas as mais perfecionistas e aplicadas donas de casa.
Sinto-me tentada a acreditar!

Engraçado ver as janelas, todas resplandecentes nas suas vidraças impecáveis, todas decoradas com plantas ou velas ou o que mais calhar e, o que é mais importante, todas permitindo, mais ou menos, observar o interior imaculado das suas casas.

Holanda é linda!

Beijo
Nina