sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

1228 - Tintas e pincéis


Só depois de os dominarmos, entendemos toda a sua potencialidade.
Mas ... aviso já, é viciante!

Tinha umas coisinhas que pretendia repaginar. A tinta e os pincéis eram os meios para atingir os objetivos em vista.
Comprei, pois, tinta, pincéis e lixa!
A tinta em cor marfim acetinado, como rezava a embalagem.


Encostado, escondido, estava este óleo.
O conjunto não me agradava.
A moldura tinha um não sei quê de fúnebre.
E então ...

Pintei-a!
No tal marfim.
Uma lata que embora pequenina, rendeu inesperadamente, porque uma só camada tapava tudo obtendo-se um resultado absolutamente satisfatório.


Já está na parede, lindo, leve e moderno!



Continuando a sobrar tinta, vesti este cesto ...

...e estes dois quadros com iniciais gigantes em ponto de cruz.
A moldura era uma coisa deprimente em tom de madeira escura.
Agora, lindos, estão prontos para saltar para uma parede.
Este vaso de barro ganhou vestido novo ...

... bem como esta ex-caixa de fruta ...

... esta caixa de vinho ...

...este tabuleiro que ostentava uma horrorosa faixa vermelha ..

.. e, finalmente, esta caixa de madeira que será promovida a cache pot!
E a tinta, finalmente, acabou!
Estou completamente apaixonada pela técnica.
Amanhã compro mais!
Noutras cores, para outras finalidades, que o limite é a imaginação, sendo que a minha é fértil - melhor dizendo - quase desvairada.

Beijo
Nina

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

1227 - Crisântemos

São flores do outono, do triste outono!
Quando ouço falar das cores quentes e vibrantes, dos poentes únicos, da serenidade do ar, da alegria das colheitas, confesso, não sei do que falam.

Outono é, para mim, nostalgia, inércia, espera, uma longa espera, pela chegada de janeiro.
Sim,sim,  não me enganei.
Saltaria dezembro, sem problema.

Desde que me conheço, sou assim!
Depois, associam-se tristes, trágicas, irremediáveis perdas que ocorreram nesta estação e, sem saber como, flagro-me na expectativa da má notícia.
Cruzes!
Eu sempre tão positiva, tão viva, deixando-me abater por uma insignificante estação do ano!


Sem saída, ocupo-me e enfeito os dias.
Desta vez com um vaso de crisântemos, amarelos, alegres, luminosos.
Vieram para esta mesa de apoio, junto ao sofá que elegi como meu.
O efeito é muito agradável e, sendo flores frescas, as tais que trazem mensagem de vida, são duráveis e durante semanas enfeitarão este espaço.
É só regar uma vez por semana.
Depois, quando começarem a dar sinais de esmorecimento, é só mudá-las para o exterior, podar um pouco e transplantar para um vaso mais amplo.
Se tudo correr bem, cá estarão, no próximo outono, para enxotar a neura.

Beijo
Nina

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

1225 - Costurando

Na última semana dediquei várias horas à costura, que é atividade que exige tempo, muito diferente do tricô ou do crochê em que se tecem uns pontinhos, ainda que apenas nuns minutos.
A costura, não. A costura demanda disponibilidade, mas, por outro lado, a consequência do trabalho surge muito rapidamente.
Pois, como já referi, costurei , tenho costurado, e não me saí nada mal.


Por agora, mostro um dos cestos que trouxe do Algarve.

Ainda não decidi se o deixo assim, ao natural, ou se vou pintá-lo de branco.
Hesito!

Já na avaliação, não tenho dúvidas.
Ficam lindos com este forro branquinho que pode ser retirado para lavar sempre que necessário.
Rematei com a renda que comprei a metro na Feira de Cerveira ...

e, para já, repousa no meu quarto azul, ao lado da Tilda e do coração que veio lá de longe, do Brasil, das mãos da minha amiga querida, Ju.

Tenho mais dois cestos em fila de espera que ficarão prontos a seguir.


Com rendas e laçarotes.

Conclui ainda as almofadas para o meu quarto e, modéstia à parte, ficaram uma beleza que só vou exibir amanhã.

Beijo
Nina

domingo, 19 de Outubro de 2014

1224 - Para o jardineiro incompetente e/ou inexperiente!


Clorofito!
Fixem este nome!
É a planta mais vigorosa, mais resistente, mais decorativa que existe:

É assim.
Umas folhinhas em vários tons de verde que crescem em tufos, com uma rapidez assombrosa.
Aconselho que roubem um raminho, pois planta roubada é planta pegada.
Enfia-se num vasinho com terra humedecida e quase instantaneamente ganha raíz.
Ao ar livre, cresce que é um gosto, sem esquisitices de regas ou adubos.
Basta um pouquinho de água uma vez por semana.



Dentro de casa, alegra qualquer cantinho.
Como tende a crescer gerando novas plantinhas, fica muito bem, lá no alto, sobre uma estante.




Estas enfeitam uma janela, mas já viveram sobre mesas de apoio, junto aos sofás.



Nesta varadinha, formam um friso que tem sobrevivido à seca e aos vendavais.


São fabulosas!
Com elas, impossível não ter jeito para plantas!

Beijo
Nina


sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

1223 - Bolinho para o fim de semana

Bolo enrolado, torta, rocambole, chame-se-lhe o que se quiser. Continua sendo uma excelente opção.


Já no tabuleiro. Previamente untado e polvilhado com farinha, entrará no forno aquecido a 180°

Precisamos:
- 180 g acúcar
- 5 ovos
- 90 g farinha
- 1 colher de chá de fermento

Fazemos assim:
- batemos as gemas + 2 claras com o açúcar.
-acrescentamos a farinha com o fermento, continuando a bater.
- finalmente, envolve-se, gentilmente, a massa nas restantes 3 claras batidas em castelo firme.

Assa em 20, 25 minutos.

Cobre-se a superfície com uma compota ou geleia.
Utilizei esta, de marmelo, sobrevivente do ano papassado

Assim!
Enrola-se, ainda quente, se não, parte!



Já no prato de seviço ...
Polvilhado com icing sugar ...






Sucesso!

Beijo
Nina

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

1222 - Botas

Está oficialmente aberta a época das botas!



Dos casacos, das parkas e das gabardines.

Com leggings ...


... E uma blusa de seda velhinha, animal print, escolha discutível, mas que, ainda assim, me agrada, se em pequenos apontamentos.


Refiro que tudo o que visto é veeeeeeelho!
Velho, não! Que não sou pessoa para vestir - nem para doar - velho.
O que acontece é serem, todas elas, peças de invernos passados.


E assim se inicia um novo ciclo.




Beijo
Nina

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

1221 - AZUL PETRÓLEO

Acho que é o nome desta cor que nem é verde nem azul!
É, decididamente uma cor outonal que combina  muito bem com castanhos, cor de vinho, azul turquesa e alguns amarelos.
Procurei nos "guardados" dos outonos/invernos passados e encontrei um número considerável de peças que casarão lindamente entre si..


Foi a primeira compra!
É um casaco/camisa comprida - chega quase ao joelho - em camurça.
"Cai" solto e veste muito bem, combinando com vestidos, saias, calças e até jeans!
O lenço em seda é muito bonito e, só por si, completa um conjunto, dando-lhe um ar requintado e moderno.

Encontrei-o na Uterque, onde, por norma, apenas compro sapatos, carteiras e malas.
Desta vez, porém, não resisti à tentação.

Estou focada em comprar pouco, apenas me deixando arrebatar por peças que valham a pena, que sejam de qualidade, que sejam diferentes, que combinem com o que já possuo dando-lhe um ar atualizado.
Acho que este é um bom critério de compra, privilegiar a qualidade, desprezando a quantidade.
Não quero com isto dizer que não vá entrar na Zara! Entrarei, seguramente! Mas apenas para procurar detalhes que completem outros conjuntos ... sei lá! Camisas brancas, por exemplo, nunca são de mais, e será por aí, que poderei vacilar.
De resto, prometi a mim mesma respeitar estes critérios.
E eu sou boa a cumprir promessas.

Beijo
Nina