sábado, 25 de junho de 2016

Praia das Catedrais


In the north of Spain, at the northern end of Galicia,stays PRAIA DAS CATEDRAIS , there where the Cantabrian Sea - the terrible Cantabrian sea - so many wrecks have caused . It is a beautiful enraged sea much more spectacular than any another calm ocean. By force of constant waves , erosion is accelerated shaping the Cathedrals, whimsically carved rocks over time . One must visit this beach during low tide to better admire the grandeur of the place .








No norte de Espanha, no extremo norte da Galiza, fica a Praia das Catedrais, ali onde o Mar Cantábrico - o terrível Cantábrico - tantos naufrágios tem provocado.
É um belíssimo mar enfurecido, muito mais espetacular do que um outro qualquer mar calmo.
Pela força das constantes vagas, a erosão acelera-se e surgem as Catedrais, rochas caprichosamente esculpidas ao longo dos tempos.

Deve visitar-se esta praia durante a maré baixa para melhor admirar a grandiosidade do local - este é o aviso prévio e AQUI encontram-se uma série de imagens espetaculares que documentam o espaço de forma magistral.

A viagem desde o Porto , embora quase sempre por auto-estrada é longa - são 400km e, no destino, abundam as propostas de alojamento.



Não resisti e, logo que cheguei, não sendo embora maré baixa, seguindo o passadiço, aproximei-me.

O céu carregado, o mar cinza, a espuma branca, o vento forte tornaram o cenário assustadoramente belo.

Fotografei sem parar, arrebatada pela grandeza do quadro.



Tantas catedrais ... Todas imersas no mar revolto.

As palavras não chegam, não as acho, não as capazes de descrever  o cenário.


Ainda assim, flores!

Tantas, indiferentes ao caos ali tão perto.

O acesso à praia é condicionado e, a partir de 1 de Julho exige-se marcação prévia.



O local encontra-se perfeitamente protegido de modo a evitar danos ambientais e acidentes pessoais 

Presentes explicações científicas para o fenómeno.


Estamos no Verão, época de mar ameno.
Imagino como será durante o Inverno.



Nas dunas, perfeitamente preservadas a vegetação é um tapete espesso e luxuriante


... de todas as cores!


Anteontem, dia cinzento e chuvoso, a beleza persistiu ...

... em enquadramentos quase irreais.

No dia seguinte, voltei, durante a maré baixa.
Uma imensa multidão circulava pelos passadiços indiferente à forte chuva que caia - e caiu durante todo o dia.

Tive a sorte de ter visitado o local de véspera e, embora com maré alta, a solidão quase absoluta emprestava ao espaço uma magia  que o bulício dos visitantes quebrou.

Aliás, não troco um ermo por qualquer local superpovoado. Gosto da tranquilidade da natureza, principalmente se imune à influência do homem e, por maioria de razões, de multidões.
Já visitei muitas, muitas, muitas capitais. E gostei. Agora, porém, outros são os meus destinos preferidos - são os espaços amplos, os longínquos horizontes e a paz, a paz que se respira e vê e escuta!
Por isso me marcou o diálogo surdo que travei na Praia das Catedrais, lá no norte do norte de Espanha, perto de Ribadeo.

Beijo
Nina

quarta-feira, 22 de junho de 2016

São gémeos!


Twins- a boy and a girl - the babies coming , the first children of a friend couple! I think it is beautiful! ( Not thinking about the hassle that , inevitably , this double dose implies ) For people who really care , I absolutely prefer to offer a unique gift , a gift made ​​by me , with all the affection in which I include the most precious I have - my time.
Afinal são gémeos- um rapaz e uma menina - os bebés que aí vêm, os primeiros filhos de um casal amigo!

Acho lindo!
(Sem querer pensar na trabalheira a duplicar  que, forçosamente, esta dose dupla implica)

Para as pessoas a quem muito estimo, faço questão absoluta de oferecer uma prenda única, uma prenda feita por mim, com todo o carinho, em que incluo o que de mais precioso possuo - o meu tempo.

Pus mãos à obra!
Lembrei-me de uma mantinha que mostrara AQUI,  sem qualquer dificuldade e com um resultado verdadeiramente fofo.

Uma vez que  a azul - p'ro menino - estava concluída, pesquisei os tons rosa que adequo às meninas e, felizmente, na minha imensa gaveta de lãs, descobri branco-pérola, rosa-bebé, lilás clarinho e rosa forte.
Resultou nisto:



Sendo o fio muito fino, a manta ficou leve e fofa, um arco-íris em tons de rosa.

O ponto é super fácil - uma sequência de quadradinhos com 4 pontos duplos -
a explicação no vídeo que linkei, é clara como a água.

O remate continua no mesmo "modo" - fácil, fácil!
4 voltas em ponto baixo e uma volta final em "conchinhas"

AQui estão elas, as duas mantinhas para os manos.

Na do rapazinho, predomina o azul, como eu gosto!

Agora é fazer um embrulho (muito) bonito e deixar que os bebés passeiem, nos seus carrinhos, muito bem agasalhados!

Estas mantinhas são apropriadas para tecer enquanto se assiste a um qualquer programa na TV, visto que não requerem especial atenção.
Foi nesse tempo que nasceram estas.

Agora terminadas, é urgente e obrigatório encontrar outro trabalho com que ocupar as mãos ao serão.

Beijo
Nina

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Compras



My favorite purchases are fabrics , buttons and knitting yarn . I try constantly end up with leftovers , but quickly return to fill drawers with new purchases. Last time I was in England I discovered Poundland stores where I could buy a lot of beautiful knitting yarn,at a really very nice price .
Take a look!



As melhores de todas as compras - para mim -  continuam a passar pelos tecidos, pelos fios, pelas rendas, pelos botões e pelas lãs!

Procuro permanentemente dar sumiço às sobras, ao mesmo tempo que me abasteço num frenesim de quem receia que os fios se acabem, desaparecendo da face da terra.
Por isso, quando me cheira a pechincha associada a novidade e a coisa bonita - esta condição indispensável - sempre compro, inevitavelmente compro, feliz da vida.

Da última vez que estive em Inglaterra, passeando pelo centro de uma pequena cidade, confrontei-me com verdadeiras irresistíveis tentações - por um lado as lojas de velharias e de produtos em segunda mão - de que falarei noutra oportunidade - por outro com as PoundLand, uma espécie de loja dos 300, com a diferença de que nestas tudo custa 1 Libra.
Esta cadeia de lojas oferece verdadeiras "achados" - principalmente para a casa e nelas tenho encontrado produtos  muito apetecíveis.

Hoje, voltando à minha apetência por fios e lãs, mostro as últimas compras, aquelas que, seguindo um ciclo contínuo, vão de novo encher gavetas.



Dei de caras com estes novelos que, além de lindos, têm a particularidade irresistível de, comprando 1, receber o segundo gratuitamente!
50% de desconto!
 Impossível resistir!

Também em tonalidades de azul - gosto desta combinação suave de cores, especialmente para roupinhas de bebé.

Para menina!
Sim, porque eu prefiro a cor rosa para menina , apesar da condenação de certas correntes que desaprovam os estereótipos.

Finalmente, perdi-me nas cores lisas:


Pesam 100g cada novelo,
O preço?
1 Libra!
Trouxe muita quantidade o que garante material para muito crochê ou tricô , mas arrependo-me de não ter trazido mais.

Portanto, é assim:
Em Inglaterra as lojas PoundLand são mesmo bom negócio.

Beijo
Nina

sexta-feira, 17 de junho de 2016

BORLAS!


Nothing better to upgrade a cushion than the application of pompons or tassels . You can make them quickly and without any kind of difficulty - just check the link.




Continuando a costurar almofadas de modo a completar as já presentes nos sofás, lembrei-me de aplicar BORLAS .
No vídeo  "linkado" a explicação é extremamente clara e o processo muito simples.

Além disso é rápido - tanto o processo como o vídeo, o que não deixa de ser uma mais valia. Vídeos muito longos, a mim, desmotivam-me!




Utilizei restos de lãs ...

... e, de repente, 4 borlas bege!

Aposto que vão dar um ar engraçado às almofadas que mais não são que dois quadrados/ retângulos de tecido ligados entre si.
Em cada canto, 1 borla.

Nesta cor telha, mais quatro ...

Fiquei pasma com a simplicidade  ...

Enfeitarão, como disse, almofadas, mas as suas aplicações são imensas.

Agora, vamos às almofadas propriamente ditas.
Se não for antes, durante o fim de semana, estarão prontas.

Beijo
Nina

terça-feira, 14 de junho de 2016

Avental

I don´t know how to live without an apron!
What I really mean is I don't enter the kitchen wiyhout  wearing one of them
.However, I don't like any apron! It must be a creative one, like those Bree Hodge, in Desperate housewives used to wear.
Look at my very last creation!
Hope you enjoy!



Já referi que não sei ir para a cozinha sem avental. Ainda que não esteja a usar nenhuma roupa especial - que se sujar, se lava sem problema - ainda assim, automaticamente coloco avental.
Tenho vários, uns mais bonitos que outros, uns comprados, outros oferecidos (obrigada  LILIANE ), e a todos dou muito uso e lavagem permanente.
Atualmente o mais normal é encontrar aventais na sua expressão mais simples - um retalho onde se recorta o tecido a nível do tronco e braços, com dois pares de fitas para atar.
Refiro-me concretamente a este modelo:




Porém, no meu imaginário, os aventais não são assim tão simples, são criações  que exigem criatividade.
Os últimos que vi obdecndo a estas exigências, eram usados por BREE HODGE, a ruiva super, hiper, mega perfeccionista .
Desconfio - temo - que dentro de mim viva uma moderada espécie de BREE.

Então, como dizia, gosto de aventais elaborados, daqueles à moda antiga, que quando usados sugerem donas de casa perfeitas, bolos caseiros, flores nas jarras e música no ar!

Por tudo isso, tenho apostado em aventais criativos.
Não tenho moldes, embora, frequentemente, beba a inspiração na net.
O que tenho são retalhos a que pretendo dar destino, como aconteceu com este - o último que costurei - e que aqui mostro:





A selfie está fraquita, reconheço.
 Porém sendo o objetivo mostrar o avental, acho que o cumpre.

É envolvente, compridinho, tem rendas, bolsos e fitas longas que permitem um enorme laçarote nas costas.

Os tons  casam a meu gosto - lilás e preto!
Tudo retalhos a que dei fim!

Comecei pelo tecido da saia, repleto de galinhas - muito gosto eu deste bicharoco!

Medi e franzi de modo a conseguir a amplitude pretendida.
Depois , aos poucos, quase por tentativas, preguei o "cinto" que ligaria o corpo à saia, sendo também o laço final.


Feito isto, tinha avental!
Depois foi pura diversão ... Rendas, bolsos, mais rendas.



Resultado, o avental ficou capaz!

Demorou, porque estas coisas da costura são lentas, tendo o seu ritmo próprio, sendo que "as pressas" conduzem inevitavelmente ao desastre.

O mais curioso é que, costurando como quem navega à vista, não é defeito nem pecado. É criatividade. Descomprometida porque, se correr mal, - como diz a minha amiga HELENA - vai para o lixo ou vira pano de pó!
Porque quem tem medo de falhar, não arrisca!
(Coisa  mais triste)

Beijo
Nina

domingo, 12 de junho de 2016

O Minho é lindo!

I love my country, Portugal, what isn't surprising!
I do particulary love the north of Portugal, concretely, Minho.
This time I visited Arcos de Valdevez and Sistelo, a true green sea, very very beautiful.
Incidentally, Sistelo applied to be considered Natural Heritage of Humanity.
Worth a visit!



Gostando muito e orgulhosamente defendendo e valorizando o meu país, tenho uma predileção inegável pelo meu norte, pelo Minho em particular. Por isso sempre que surge a oportunidade de uma saída, sem pensar, escolho de imediato o Norte, no caso, o Minho, no caso Arcos de Valdevez, no caso Sistelo.

Já estive em Arcos de Valdevez. Já lá fui muitas vezes. E apetece-me sempre, muito, voltar.

É nas margens do rio Vez que mais se nota o empenhamento da autarquia.

A nível de obras de arte - como este conjunto escultórico - os olhos regalam-se.

Tudo muito organizado, muito limpo, com árvores e espaços verdes muito cuidados.
Faz -nos sentir orgulho do nosso país.
 Uma regra, porém, se impõe:
- Há que estar sol, porque, por aqui quando chove, é o dilúvio!
Daí tudo tão verde, tudo tão viçoso!

Na net procurei e achei um restaurante com qualidade - Costa do Vez! Serviço afável e comidinha boa!
Recomendo.


Enquanto se espera, servem umas coisinhas - no caso, feijão frade com atum. Não tem nada de especial, mas achei graça à louça típica de Viana de Castelo.
Há quem goste muito. Quanto a mim, nem por isso. Mas não deixa de merecer o reparo.

Uma dose de "posta" grelhada chega e sobra para dois.
Estava boa, muito boa.
 A seguir ainda me deixei tentar por uma sobremesa com milhões de calorias - paciência!
Também estava deliciosa, pelo que, concluo. que este é um restaurante de confiança.

Neste casarão funciona.
À volta grandes jardins com flores e imensos limoeiros.

O nome vem-lhe da localização, mesmo na margem do rio Vez!

Comidos e bebidos - o vinho verde branco da casa é excelente -  seguimos para Sistelo, uma terrinha agrícola candidadta a Património Natural.
Fui de carro, mas, para os afoitos existe uma Ecovia de 32 km que pode ser feita a pé ou de bicicleta.



O cenário é este, no verde Minho, que mais verde não pode ser.

O céu não estava tão azul como desejaria. Havia umas nuvenzitas aqui e ali. Ainda assim o contraste entre a vegetação bravia e o céu é divino - que isto - lembrem-se - não é obra de homem - se fosse já estaria danificado, aposto!

Chegámos a Sistelo!
E, para começar, na soleira de uma casinha simples, este toque Kitsch! Adorei!


Cavalo, carroça, cãozinho, flores e frutos!
Cimentado para evitar tentações!
 A pé penetra-se no coração de Sistelo com um centro pequenino.


E lá estão os socalcos cultivados.

É muito bonito!
Parece o Douro , mas infinitamente mais verde.

Vi um castelo de cuja veracidade duvido ...

... espigueiros em ruínas ...

... uma espécie de pelourinho ...

... espigueiros preservados onde - suponho - ainda guardam espigas ...

... casas de granito em ruínas ...


... mais um espigueiro imerso neste mar verde ...

... e escadinhas em pedra que em tempos idos foram, seguramente, vitais!

Do centro de Sistelo, eu apaixonada pelo crochê, trouxe esta recordação:

Habitação ...

... com cortinas em linho!

Foi um percurso que durou parte do dia e transformou o dia num dia agradável, num dia para recordar, como devem, aliás, serem todos os dias ...
Que para isso nascemos, para sermos felizes. Todos os dias!


Beijo
Nina